Sessão Aquiry: a música autoral acreana em seu melhor momento

O projeto é desenvolvido pelo músico e produtor João Vasconcelos

No final de 2020, o músico e produtor João Vasconcelos apresentou ao edital da Lei Aldir Blanc, através da Fundação Elias Mansour (FEM), um projeto que consistia em filmar 12 artistas acreanos. O projeto foi aprovado e assim surgiu o Sessão Aquiry, um registro audiovisual da música autoral acreana, com uma primeira temporada confirmada e a participação de 12 artistas, executando performances ao vivo de suas canções. A direção e produção ficou a cargo de Vasconcelos. O projeto estreou na primeira semana de novembro de 2021. De cada artista, são lançados 2 vídeos, totalizando 24 apresentações, tanto da nova geração da música acreana quanto das gerações mais antigas.

Em entrevista, João afirmou: “Eu sou muito, muito fã, sempre fui um apaixonado pela música do Acre, de certa forma também tenho algum envolvimento com isso, faço parte da banda Los Porongas, que também tem uma história bacana com a música do Acre, sempre me conectei muito com isso, assim fazer esse projeto é era um sonho antigo, eu já tinha apresentado em outros editais, nunca tinha passado, mas foi massa que dessa vez rolou!”.

Foto de João Vasconcelos

Entre os artistas de longa data foram registrados Sérgio Souto, Zé Jarina, Dona Zenaide, Diogo Soares, e entre os mais jovens estão Maria Clara, Elu, Duda Modesto e Maya Dourado. O projeto trabalha um encontro de gerações para apresentar a diversidade da música acreana. “O mais bacana é que alguns artistas acabaram tocando mais de duas músicas. Eu consegui levantar 34 vídeos na verdade. Teve artista que gravou seis, sete músicas, então eu estou com um acervo bem legal que dá para a gente ir soltando aos poucos”, afirma o diretor.

João Vasconcelos está morando em Minas Gerais atualmente, mas esteve na capital acreana em setembro de 2021, para fazer a captação das imagens e das músicas. “Nesses trinta dias que fiquei em setembro, eu consegui fazer o registro de todos esses vídeos. Foi uma maratona muito doida, além de outros projetos que eu estou envolvido, foi muito legal, a gente ia escolhendo as locações, ia conversando com os artistas. A coisa fluiu magicamente, de um jeito muito legal, todas as gravações deram muito certo, não teve uma que furou, não teve uma que deu um problema, tudo fluiu bem legal mesmo do jeito que tinha que ser e o resultado está aí! A gente já tem no YouTube, no perfil do Instagram também, e vou ficar nas próximas semanas soltando esporadicamente.”

Pia Villa fez a estreia do Sessão Aquiry, com a música “Estrela Cadente” – Foto: João Vasconcelos

Sobre as inspirações para esse projeto, João afirma que Sessões foi inspirado em um outro projeto quando ele tinha um estúdio na cidade de São Paulo, onde eram feitas sessões com artistas tanto de São Paulo quanto de outros estados que moravam na cidade. João fazia a captação de áudio e um amigo diretor e músico fazia a captação de imagem. Os artistas envolvidos performavam suas músicas e as filmagens eram feitas em plano sequência, sem cortes. Característica essa que o Vasconcelos incorporou à Sessão Aquiry: “Com o projeto eu consegui comprar uma câmera, uma placa também pra poder registrar e fiz na raça mesmo assim. Eu marcava com artista chegava lá na casa dele ou então em algum lugar que a gente combinava, ligava os microfones, ligava o computador, pegava a câmera e fazia a filmagem. Então todos os vídeos do Sessão Aquiry tem essa proposta de plano sequência, nenhum deles é editado. Nenhum deles tem mais de uma câmera. Uma coisa que eu acho bacana quando você é músico e resolve se aventurar também no audiovisual é que você vai filmar apresentações musicais, parece que você se conecta mais com o que está acontecendo ali. Eu sou músico, eu sou produtor musical e eu gravo artistas então de uma certa forma, com a câmera na mão e tendo já essa bagagem musical parece que fica mais fácil se conectar com o artista ou a artista que está se apresentando ali no momento, e eu acho que fica algo mais próximo do sentimento que está sendo expresso naquele momento”.

João Vasconcelos filma cantor, compositor, ativista cultural e vocalista da banda Los Porongas, Diogo Soares interpretando a música “Embola Eu” – Foto de João Vasconcelos

Questionado sobre a possibilidade de uma segunda temporada, Vasconcelos diz que depende de futuros projetos, mas a experiência com o Aquiry mostra que é possível fazer muito, com pouco. “Sobre [uma segunda] temporada tenho muita vontade que tenha outras, mas vai depender logicamente de futuros projetos que a gente consiga aprovar também, e de repente fazer uma coisa até com uma estrutura e tal, mas o legal disso foi que com pouco equipamento e pouca gente, na verdade era só eu e mais uma pessoa dando uma força na executiva, foi possível fazer tudo isso. Às vezes você vai trabalhar com filmagem, tem aquela coisa de muita gente pra trabalhar, muita gente é legal também, mas isso mostra que é possível também com uma boa intenção, boas energias, uma câmera na mão e um um equipamento legal pra captar o áudio você consegue fazer um um material bacana. Então espero que venham a ter outras temporadas, com certeza seria muito massa, porque tem muito mais artistas acreanos pra gente poder registrar”.

“A música do Acre está vivendo um momento muito rico em termos de qualidade autoral, qualidade artística mesmo. Eu fiquei impressionado com o nível autoral da galera da nova geração que eu pude registrar: Pedro Lucas, Maria Clara, Maya Dourado, Duda Modesto, as meninas da Elu. Realmente assim uma nova geração é muito criativa e talentosa com um poder autoral maravilhoso. Tem mais gente que eu descobri depois, que eu nem conhecia, então seria muito legal ter outras temporadas sim”, afirmou o diretor com uma felicidade e esperança para o projeto.

Para acompanhar o projeto Sessão Aquiry basta segui-los no Instagram e no YouTube, onde você acompanha os lançamentos e curte o melhor da música acreana.

Deixe uma resposta