thumb bicicletas

Ciclistas cruzam o Estado do Acre pela BR-364

Pedalando, atletas desfrutam dos prazeres de uma viagem

Após 24 horas de ladeiras, curvas, força e muita beleza natural mais 100 atletas completaram neste sábado, 28, o Race Across Acre. O primeiro circuito de ciclismo que corta o Acre, entre Rio Branco e Cruzeiro do Sul, pela BR-364, mostrou que o estado tem mais um caminho aberto de integração e um circuito de aventura de 640 quilômetros.

Durante as trocas de atletas em cada equipe, o que podia se ouvir era: “Quem manda no corpo é a mente”. Os técnicos tentavam a todo custo manter o foco dos ciclistas, que após a largada, com chuva em Rio Branco, enfrentaram ladeiras e o cansaço de pedalar também durante a madrugada.

Depois da passagem pelos municípios de Bujari e Sena Madureira três equipes começaram a se destacar nos trechos noturnos, passando por Feijó e em seguida Tarauacá. Em Cruzeiro do Sul confirmaram o esforço nos últimos 12 quilômetros, sendo a primeira colocada a equipe Leblon Motos, seguida da SL Ciclismo e em terceira a OAB/AC.

O ciclista Alexandre Pinto, integrante da equipe vencedora, comenta como foi o esforço de todos: “Todo mundo acaba disputando as 24 horas direto, mesmo descansando o batimento fica elevado, o músculo e o metabolismo continuam trabalhando acelerado”. A equipe largou às 13h35 de sexta-feira, 27, e recebeu a bandeirada às 10h45 deste sábado.

Integração em duas rodas

Mesmo pedalando sem parar, os atletas desfrutam dos prazeres de uma viagem. “Valeu a pena essa corrida, foi a primeira vez que vim a Cruzeiro do Sul desse modo, fazendo o que eu gosto”, comenta o vitorioso Alexandre, a caminho de receber sua medalha.

Os mais de 100 atletas percorreram todo o percurso sem nenhum acidente, para o Secretário de Turismo Leonildo Rosas “isso demonstra a qualidade da obra que o Deracre tem executado e que a BR-364 permite que o Acre esteja integrado definitivamente.”

A Race Across Acre foi uma iniciativa do governador Tião Viana para apresentar o resultado de seu compromisso, feito em 2011, de que a BR-364 jamais fecharia novamente. Em dezembro de 2013, mesmo com muita chuva, é possível viajar até o Juruá de dia ou a noite, de carro, ônibus ou bicicleta.

Deixe uma resposta