thumb copao1

Copão Comunitário chega à reta final

Decisão acontece no próximo sábado, no Arena da Floresta

Os números revelam a grandiosidade do Copão Comunitário realizado pela prefeitura de Rio Branco: 2 mil jogadores de 91 equipes de bairros da capital jogaram 191 partidas na competição que começou no último dia 13 de julho no Estádio Arena da Floresta e será encerrado no próximo sábado, 5 de outubro. As semifinais disputadas no último sábado no Estádio Arena da Floresta destacou outra característica do Copão Comunitário: a presença do público nos estádios onde os jogos foram disputados. No último sábado nem o sol forte atrapalhou a festa do esporte amador e o prefeito Marcus Alexandre, que acompanha todas as partidas destaca o desafio de realizar a competição: “Quando pensamos no Copão Comunitário nós queríamos homenagear o esporte amador, que revela talentos, que congrega os moradores dos bairros, que traz as pessoas aos estádios e esta festa mostra que vencemos mais esse desafio. É a festa do esporte amador!”.

No campo no último sábado os jogadores dos bairros Custódio Freire, Montanhês, Vila Jerusalém e Seis de Agosto demonstraram que para os jogadores, moradores dos bairros da capital, a competição foi muito mais do que um simples jogo de futebol. Para muitos foi a realização de um sonho, como conta o atacante do time da Vila Jerusalém, na região da Vila Acre. “Para mim jogar no Estádio Arena da Floresta, que tem toda essa estrutura e ver o público torcendo é a realização de um sonho”.

Na primeira partida da semifinal de sábado jogaram Custódio Freire e Montanhês. O Montanhês ganhou com dois gols e vai disputar a final com o Vila Jerusalém, que ganhou de oito a dois do Seis de Agosto, no segundo jogo da tarde. “O nível da competição foi muito bom e no sábado, dia 5, vamos realizar a grande festa da final do Copão Comunitário, que marcou o esporte amador de Rio Branco”, enfatiza o secretário Municipal de Esporte e Lazer, Afrânio Moura.

Os torcedores ignoraram as tardes quentes de sábado e revelaram o gosto de voltar a freqüentar os estádios. O Copão Comunitário teve jogos em oito sedes da capital. A torcedora e dona de casa Dalila de Viana, da Estrada Apolônio Sales, diz que acompanha a competição desde o início e leva o neto ao estádio. “Quando meu marido era vivo a gente ia muito ao Estádio José de Melo. Quando começou o Copão meu neto queria muito ir e para ele não ir só, acompanho e me divirto. Se não estivesse aqui estaria em casa dormindo”.  

Festa comunitária e premiação

O presidente da União das Associações de Moradores de Rio Branco – UMARB, Gilson Albuquerque explica que o Copão Comunitário, elevou a autoestima dos moradores dos 91 bairros que fizeram parte da competição e destaca ainda a valorização dos bairros. “Hoje com os bairros passando por obras, com a construção e reforma das quadras e estádios, os moradores atletas têm onde treinar. E a gente sente o orgulho deles ao jogar por exemplo, no Arena da Floresta.

Gilson Albuquerque diz que a premiação, uma moto, para a Associação de Moradores vencedora da competição, foi uma boa forma de prestigiar as comunidades participantes.

O empresário Osvaldo Dias, representante da Honda no Acre, e que doou a moto que será entregue para a Associação vencedora do Copão, também tem ido aos estádios ver os jogos, a exemplo de sábado, quando acompanhou as duas partidas da semifinal. Ele elogia a iniciativa do prefeito Marcus Alexandre, de realizar uma competição que reúna moradores de bairros na capital e cita que a partir dessa primeira competição, os empresários vão se sentir estimulados em doar prêmios e em participar das competições. “É interessante para o empresário ver sua marca ligada ao esporte e isso ao mesmo tempo beneficia as comunidades”.

Beleza das comunidades

E no intervalo entre as duas partidas das semifinais do último sábado, foi a vez da beleza das representantes da comunidade entrar em campo. Doze semifinalistas desfilaram para o público e os jurados e cinco foram escolhidas para a grande final do próximo dia 5 de outubro.

Estudante de química na Universidade Federal do Acre, a representante do Residencial Santa Helena, diz que ficou feliz e orgulhosa de ter sido eleita pela sua comunidade e estar na final do concurso da Musa do Copão Comunitário. “Não pensei que haveria tanta gente aqui no estádio, mas entrei firme e esqueci o nervosismo. Sinto orgulho de levar na mão a placa com o nome da Vila Santa Helena e se nós ganharmos será muito bom”.

Deixe uma resposta