Daniel Alves é detido pela polícia espanhola por suposto assédio sexual

A justiça espanhola viu indícios de que o assédio poderia ter mesmo acontecido

O veterano jogador foi prestar depoimento sobre a acusação de assédio sexual a uma espanhola, na noite de 30 de dezembro, do ano passado. Mas, depois de depor, hoje pela manhã, em Barcelona, foi detido. A justiça espanhola viu indícios de que o assédio poderia ter mesmo acontecido.

Daniel Alves foi levado por policiais para um camburão. Acabou conduzido para a chamada Cidade da Justiça, complexo de tribunais. Um juiz decidirá sua prisão ou liberdade.

Mas o fato de ter sido detido quando prestava depoimento já demonstra a gravidade da situação. Porque não havia pedido de prisão para o brasileiro. A desconfiança da imprensa espanhola é que possam ter aparecido novas provas contra Daniel Alves.

Tudo se passou em uma danceteria na Catalunha.

Uma mulher de 23 anos acusa Daniel Alves de ter colocado as mãos embaixo de sua roupa e toca seu corpo, em partes íntimas, sem autorização.

De acordo com a agência Reuters, ele a teria tocado embaixo da saia. A mulher procurou chorando os seguranças da casa noturna. A polícia foi chamada, mas o jogador não estava mais na danceteria.

A mulher manteve a acusação. O jogador voltou para o México.

A polícia da Catalunha aceitou a denúncia e passou a investigar o caso.

Daniel Alves negou, nas redes sociais, o assédio.

O jogador não falou com a imprensa brasileira.

Deu suas explicações para a TVE, espanhola.

“Eu estive nesse lugar, e quem me conhece sabe que eu adoro dançar, mas sem invadir o espaço de ninguém, respeitando os espaços.

“E quando você vai ao banheiro, não tem que perguntar quem está lá para usar o banheiro. Não sei quem é essa senhorita, nunca a vi. Nestes anos todos nunca invadi o espaço de ninguém sem autorização.”

Ou seja, ele admitiu que encontrou a mulher que o denunciou no banheiro da danceteria.

Daniel Alves vive o outro lado de ser um atleta midiático.

A sua detenção está nos principais portais do mundo todo.

Um juiz decidirá se ele ficará preso ou pagará fiança.

Só a detenção já demonstra que o caso tem tudo para ser aceito.

E o jogador poderá passar por um julgamento.

A situação não é só péssima para Daniel Alves.

Mas para a imagem dos jogadores brasileiros no exterior.

Atletas da seleção brasileira.

Robinho já foi condenado a nove anos de prisão por estupro na Itália.

Está livre em Santos, já que nosso país não extradita quem é brasileiro.

Mas seu nome está entre os procurados da Interpol.

Basta tentar viajar para um dos 121 países com que a Interpol tem acordo que ele será preso.

Neymar esteve envolvido em dois escândalos sexuais.

O primeiro com a modelo Najila Trindade.

E o segundo, que aconteceu antes, com uma funcionária da Nike, situação que teria provocado sua saída da empresa, depois de anos de contrato.

O mais irônico é que Daniel Alves foi o conselheiro de Neymar no escândalo provocado por Najila.

De acordo com pessoas ligadas aos dois atletas, ele recomendava não se envolver com mulheres desconhecidas. Principalmente à noite.

E é exatamente o que está acontecendo agora com o próprio Daniel Alves.

Ele é jogador do Pumas, do México. O clube contava com o atleta em uma partida contra o León, no domingo. O lateral tinha conseguido a liberação para “resolver um problema particular na Espanha”. Na verdade, ele havia sido chamado para depor sobre a acusação de “agressão sexual”.

A fiança parece ser o caminho para a situação.

Mas Daniel não deverá mesmo escapar do julgamento.

A polícia da Catalunha continuará investigando.

O que aconteceu com Daniel Alves é péssimo para a imagem do jogador brasileiro no mundo.

Ele já é rotulado como amante de noitadas por empresários europeus.

Quando atletas midiáticos como Neymar, Robinho e Daniel Alves têm sua vida sexual exposta, questionada, as acusações atingem os atletas deste país.

E a própria seleção brasileira…

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*