Paz no Corinthians, cenário montado para a ‘redenção’ de Róger Guedes

Diretoria travou a crise entre Vítor Pereira e o atacante. O explosivo jogador entendeu: terá de se empenhar, mesmo atuando onde não gosta. Róger mudou sua postura

Com a bênção de Duilio Monteiro Alves e Roberto de Andrade, excelente notícia no Corinthians. Houve a reaproximação de Róger Guedes e Vítor Pereira.

O presidente e o diretor de futebol conversaram com o jogador e com o treinador, depois da queixa pública de que o atacante não estava se empenhando por não atuar como gostaria, no lado esquerdo do campo. Por isso não foi não entrou um minuto sequer contra o Boca Juniors e São Paulo.

Havia muita preocupação, desde domingo, quando o técnico tornou pública sua insatisfação. Suas palavras repercutiraram.

“Tenho que fazer a equipe e escolher as substituições em função do que eles me dão em treino e jogo. Portanto, o Róger que já teve um momento bom, fez gols, hoje é um jogador que está com alguma dificuldade de responder mesmo em termos de treino, em termos de lutar para dar a volta.

“Tomara que ele me transmitisse a confiança para contar com ele para alterar um jogo ou começar uma partida. Mas eu não estou sentindo esta confiança. Isto não quer dizer que ele não queira, não estou dizendo isso. Mas nem em termos de treino, nem em termos de jogo, as indicações são essas. Não posso tomar decisões com base no nome do Róger Guedes ou do que ele já fez, mas do que ele está fazendo agora.”

Róger chegou a republicar as estatísticas que o apontam como artilheiro do time, nas redes sociais. Mas logo retirou a publicação do ar.

A vinda do jogador ao Parque São Jorge é assumida como uma das maiores vitórias de Duilio Monteiro Alves como presidente. Ele também está mais do que satisfeito com Vítor Pereira. E ele tratou de entrar em contato com os dois ainda na segunda-feira. Roberto de Andrade também acalmou os dois.

O empresário de Róger Guedes, Paulo Pitombeiras, é muito amigo dos dirigentes corintianos. E deixou claro que o atleta não reclamaria publicamente. E mostraria a Vítor Pereira nos treinamentos que merece jogar. Tendo chance, inclusive, de atuar no lado esquerdo, como sabe render mais. Talvez revezando com Willian, ‘dono’ do espaço.

Róger Guedes treinou muito sério na terça-feira e ontem.

Há a certeza na diretoria que ele será utilizado hoje, na partida decisiva, contra o Always Ready, da Bolívia, em Itaquera. Jogo que o Corinthians tem a obrigação de vencer para não correr risco de eliminação da Libertadores. É o segundo colocado do grupo E, com oito pontos, atrás do Deportivo Cali, da Colômbia, no saldo de gols. Com sete, está o Boca Juniors, que enfrenta os colombianos, em Buenos Aires.

O Always Ready veio a São Paulo com time reserva, porque já não tem chances de classificação e tem jogo importante, a semifinal do Campeonato Boliviano.

Willian não está jogando bem, se mostra desgastado.

Há a chance até de Róger Guedes começar a partida de hoje.

Mas mesmo que fique no banco, há a certeza em Itaquera, ele vai jogar.

A cobrança pública de Vítor Pereira deu resultado.

O jogador, que recebe R$ 1,3 milhão, foi aconselhado por seu empresário. Não vale a pena manter um clima ruim, perder a chance de ser titular no segundo clube mais popular do Brasil. E que é dono de 40% dos seus direitos.

Depois de problemas de relacionamento no Palmeiras e no Atlético Mineiro, Róger resolveu se conter. E mostrar em campo que merece ser titular. Para isso, com Vítor Pereira, teve de se dedicar nos treinos. Foi o que fez.

O clima hoje em Itaquera é de ansiedade.

Expectativa de redenção.

Contra os reservas bolivianos, Róger Guedes pode voltar a mostrar sua importância.

Marcar gols, ser reverenciado, resolver a questão com o técnico português.

A quinta-feira, dia 26 de maio, começou animada no Corinthians…

 

 

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*