070617-esporte-rafaelbarros-tvgazeta

Rafael Barros: a novela atleticana continua

Problemas burocráticos atrapalham vida do jogador

O Atlético ainda aguarda um parecer da CBF sobre as sucessivas transferências de Rafael Barros, para saber se pode contar com o atacante no próximo jogo do Brasileirão da série D. E quem é Rafael Barros? Vamos conhecer um pouco desse atleta na reportagem.

O atacante de 25 anos de idade é natural de Roraima. Iniciou a carreira no Náutico, time daquele Estado, mas já defendeu vários clubes, como Boca Júnior de Sergipe, Nacional do Amazonas, Bragantino de São Paulo e São Raimundo do Pará.

A história no Atlético começou em 2014, durante o Campeonato Brasileiro da Série D. Ele estava no São Raimundo e jogou contra o Galo. Ficou conhecido pela equipe técnica que o convidou a vir para o Acre.

Em 2015, o jogador mostrou talento como atacante e ganhou o coração da torcida do Atlético. A equipe chegou à semifinal do campeonato estadual. E no ano seguinte, em 2016, o rendimento não caiu.

“Ano passado o Rafael chegou aqui pra jogar comigo, trabalhou uma semana, foi pra final do campeonato, marcou dois gols na final contra o Rio Branco. Na série D, todo mundo viu o futebol que o Rafael jogou e lá no Nacional também até quebrar o braço. Voltou para jogar conosco. A torcida, os jogadores, a comissão técnica todos estão muito felizes do Rafael estar aqui conosco”, disse o técnico Álvaro Miguéis.

Rafael Barros está de volta, mas há um mês aguarda definição da CBF para voltar aos gramados com a camisa do Atlético. “O Rafael já está inscrito, está tudo legal, só estamos esperando chegar um parecer da CBF por que foram feitas três transferências em menos de três meses e a CBF investiga para saber por que ocorreram tantas transferências num prazo tão curto”, explica o técnico Miguéis.

Esse transtorno decorrente de idas e vindas em clubes, segundo o jogador é consequência da carreira. “É complicado a gente que trabalha com isso. Hoje tá, amanhã não tá mais. Tem que estar rodando, estar empregado. A gente tem que procurar o melhor. O que a gente acha às vezes não é o melhor, acaba não dando certo. Mas é vida que segue”, comenta.

Rafael acredita que pode estrear no sábado. Esse também é o desejo do técnico Miguéis, que espera ainda o retorno do lateral esquerdo Alfredo.
“Em questão de motivação estou bem motivado. Só esperando a documentação pra reestreiar. Vai dar tudo certo. Se Deus quiser estrear com gols, vitória e acesso”, disse Rafael.

Além de conviver com a angústia de não poder jogar, o atleta precisa controlar a saudade da família que ficou em Roraima. Rafael Barros é casado e tem duas filhas. Ele acha complicada a distancia, mas não reclama de pagar o preço para continuar lutando pra dar uma vida melhor à família.

“Acho que independente disso a gente continuar trabalhando por que a gente tá aqui é por eles, pelos filhos, pela esposa. Acho que é válido. A distância é complicado por questão da saudade. Isso pode ser suprido trazendo a família. Não deu pra trazer agora, por ser um campeonato rápido a série D. Acabando aqui eu volto pra casa, mas acredito que por um período mais longo de campeonato, posso trazer a família”, conclui.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*