6 litros de água para cada real na economia

Em 2015, a atividade econômica Água e esgoto correspondeu a 0,5% do Valor Adicionado Bruto (VAB) total da Economia. O consumo de água para cada R$ 1,00 de Valor Adicionado Bruto foi de 6 litros.

Dos 6,2 trilhões de m3 de água que configuravam os recursos hídricos renováveis do país em 2015, houve uma retirada total (para atendimento próprio e captação de água para distribuição) de aproximadamente 3,2 trilhões de m³. Já o Consumo total de água em 2015 foi de 30,6 bilhões de m³.

O valor da produção de água de distribuição e Serviços de esgoto foi R$ 42,5 bilhões, sendo a água de distribuição responsável por 67,2% desse total. O custo médio por volume de água distribuída e serviços de esgoto da economia foi de R$ 2,49/m³.

Excluindo as atividades de Eletricidade e gás e de Esgoto e atividades relacionadas (que têm volume de retirada e retorno ao meio ambiente quase equivalentes), as principais atividades que captam água diretamente foram: a Agricultura e pecuária (32,5 bilhões de m³); a Captação, tratamento e distribuição da água (17,1 bilhões de m³); e a Indústria de transformação e construção (6,1 bilhões de m³).

As Famílias foram as principais responsáveis pelo uso de água de distribuição (68%) e serviços de esgoto (78,6%). O uso per capita de água pelas famílias foi de 108,4 litros/dia.

De 2013 para 2015, houve uma queda acumulada de 3,8% no volume de água retirada do meio ambiente para distribuição. O volume de água fornecido pela Atividade Água e Esgoto para uso das Famílias e demais atividades (seus dois maiores usuários) recuou 4,3% e 3,4% respectivamente. Já as despesas de consumo final de água de distribuição pelas famílias aumentaram 8,8% e as de consumo intermediário do grupo Demais atividades, 10,4%.

Essas são algumas das informações das Contas Econômicas Ambientais da Água do Brasil 2013-2015 (CEAA), elaboradas pela primeira vez pelo IBGE. A publicação e o material de apoio dessa divulgação estão à direita desta página.

Brasil dispunha de 6,2 trilhões de m3 de água em 2015

O total de recursos hídricos renováveis no país – ou seja, toda a água disponível e renovável – sofreu algumas oscilações no período analisado pelas CEAA, que vai de 2013 a 2015. Esse total era de 7,4 trilhões de m3 em 2013, subiu para de 7,6 trilhões de m3 em 2014 e recuou para 6,2 trilhões de m³ em 2015.

Considerando-se os recursos hídricos disponíveis em 2015 e a população do país, o Brasil tinha naquele ano cerca de 30,3 mil metros cúbicos de água por habitante.
Retirada total de água da economia foi de 3,2 trilhões de m³.

Dos 6,2 trilhões de m3 de água disponíveis no país em 2015, cerca de 3,2 trilhões de m3 foram retirados da natureza para serem usados em alguma atividade econômica.
Na média, o país utiliza apenas pouco mais da metade de seus recursos hídricos na Economia. Ainda assim, mais de 99% dessas retiradas são devolvidas à natureza (um exemplo disso são as hidrelétricas). Somente 0,5% dos recursos hídricos (ou 30,6 bilhões de metros cúbicos) são, de fato, consumidos pelas famílias e pelas empresas.

Eletricidade e gás, devido à grande quantidade de água turbinada pelas hidrelétricas, foi a atividade econômica que mais contribui para esse volume (97,3% do total), porém o uso da água nessa atividade é predominantemente não consuntivo (a quantidade de água devolvida para o meio ambiente é igual a quantidade de água retirada).

Excluindo a atividade de Eletricidade e gás e a de Esgoto e atividades relacionadas (em que a retirada pela atividade Serviços de esgoto corresponde à coleta de água da chuva escoada pelas redes pluviais, com volumes equivalentes de retirada e retorno ao meio ambiente ), as principais atividades que captaram água diretamente foram: a Agricultura e pecuária (32,5 bilhões de m³); a Captação, tratamento e distribuição da água (17,1 bilhões de m³); e a Indústria de transformação e construção (6,1 bilhões de m³). Na tabela abaixo, alguns dos principais indicadores das Contas Econômicas Ambientais da Água. Um hectômetro cúbico (hm3) equivale a 1 milhão de metros cúbicos (m3).

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*