Ágata 8 mobiliza militares das Forças Armadas

As Forças Armadas iniciaram na manhã do dia 10 a Operação Ágata 8 em toda a extensão da fronteira brasileira com os dez países sul-americanos, o equivalente a 16.886 quilômetros. Este ano, a ação conta com 30 mil militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica. Além desse total, participam agentes das polícias federal, rodoviária federal e militar, bem como profissionais de agências governamentais. A Ágata é a maior mobilização realizada pelo Estado no combate aos ilícitos de Norte a Sul do país, entre Oiapoque (AP) e Chuí (RS).

A operação é parte do Plano Estratégico de Fronteiras (PEF), criado por decreto da presidenta Dilma Rousseff, em junho de 2011. Acontece sob a coordenação do Ministério da Defesa e comando do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA). A execução cabe às Forças Armadas.

Operação Ágata

A faixa de fronteira é o espaço situado até 150 quilômetros a partir da fronteira. Esse território compreende 27% do território nacional onde estão 710 municípios.

Além do combate aos ilícitos, a Ágata contempla também Ações Cívico-Sociais (Acisos), que consistem em atividades como atendimento médico, odontológico e hospitalar aos locais onde concentram famílias carentes. De acordo com o balanço integrado, as sete edições da Ágata resultaram em mais de 280 mil procedimentos de saúde, 57.698 atendimentos médicos e 55.230 odontológicos. Cerca de 9 mil pessoas foram vacinadas e distribuídos 219.003 medicamentos.

No Acre

O Comando de Fronteira Acre/ 4° Batalhão de Infantaria de Selva possui cerca de 500 militares empregados nas operações, além de contar com o apoio de policiais federais, civis e militares, da receita federal, IBAMA, ICMBio e de outras agências governamentais.      

São empregadas durante a operação 28 (vinte e oito) viaturas e 09 (nove) embarcações, e até agora já foram apreendidos R$ 59.249,50 em materiais de contrabando e descaminho.

Os Acisos serão realizados dia 16 em Feijó, 17 em Manuel Urbano e no dia 20 em Extrema-RO.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*