Alagação: MP e Procon de olho nos preços

Agora, chegou a vez do Procon e Ministério Público investigarem um possível aumento no preço de produtos causados pela enchente do rio Madeira. Transitar pela única rodovia que liga o acre ao restante do país está cada vez mais difícil. Por medida de segurança, o tráfego durante a noite foi suspenso.

Na capital acreana, é fácil encontrar itens que estão com preço acima da média. Como os hortifrutigranjeiros e combustíveis. Gás de cozinha, outros combustíveis e gêneros alimentícios são os alvos da investigação. A sociedade pode colaborar por meio de denúncias.

Durante entrevista coletiva à imprensa, a chefe de fiscalização do Procon disse que várias denúncias dos próprios consumidores. “Se este aumento for justificado, ele pode existir e é lícito. Se houve o aumento sem justificativa, nós vamos autuar”, Francisca Brito.

A promotora Alessandra Marques falou em boicote a alguns produtos. “É uma prática de consumo extremamente normal nos países de primeiro mundo. Portanto, é um bom momento de darmos um exemplo de cidadania. Nós podemos ser fiscais das relações de consumo”, argumentou.

Segundo Alessandra Marques, caso o aumento abusivo seja comprovado, os responsáveis podem responder criminalmente na justiça. As investigações devem durar, no mínimo, 30 dias.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*