Antigo prédio da PF virou abrigo para usuários de drogas

A Polícia Federal agora está num imponente prédio que nada lembra o antigo imóvel, que agora virou ponto de usuários de drogas e de furto. Situado num dos locais onde mais se transita entorpecentes no centro da cidade, o imóvel que pertence ao governo federal é um risco para quem passa no período da noite.

Durante uma visita ao local, a equipe de reportagem da TV Gazeta flagrou uma verdadeira destruição do prédio.

Na porta da frente, a secretaria colocou correntes com cadeado, mas ao lado da porta, a abertura do ar condicionado facilita a entrada no prédio, ou basta dar a volta e entrar no portão que fica próximo onde funcionava o laboratório. Nos corredores encontramos os restos do móveis. A parte elétrica esta sendo levada. Os forros são arrancados para a retirada dos fios.

O momento mais tenso foi quando a equipe de reportagem flagrou três homens cortando os cabos de um gerador  que abastecia o prédio em caso de queda de energia. A presença da equipe afugentou o grupo que saiu correndo pelo portão sem fechadura. Na presa, eles deixaram até objetos pessoais para trás. Eles tiram dos cabos o cobre para revender o mercado e depois usam o dinheiro para comprar drogas.

Encontrou-se, também, numa das salas, uma grande quantidade de documentos. São relatórios de denuncias, investigações onde estão detalhes da pessoa investigada inclusive com fotos, tem ainda, dossiês e até CDs com vídeos de flagrantes.  Parte desses papeis está espalhado onde funcionava a antiga garagem. Documentos que antes eram sigilosos, revelam detalhes das pessoas e até comunicações internas.

Nas salas onde funcionava o laboratório, móveis de mármore indicam que os ladrões ainda vão ter muita coisa para levar. Nas salas encontramos papelões, roupas e restos de drogas, sinal que o local virou ponto de referência para o consumo principalmente do crack.

O chefe do setor de proteção social da prefeitura de Rio Branco, Fábio Fabrício, informou que uma equipe da secretaria esteve visitando local e os agentes foram expulsos pelos usuários de droga.

A Secretaria de Ação Social informou que o abandono de prédios do governo federal virou prática comum. Já foi feito um levantamento de quantos imóveis abrigam usuários de drogas e o número de dependentes que ficam na rua também aumentou. Cerca de 70 já foram identificados pela prefeitura. “O que ninguém esperava é que a sede onde se combatia o tráfico de drogas virou principal abrigo dos usuários”, disse Fabrício.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*