BR-364: dificuldade na comunicação prejudica resgates

Duas pessoas morreram e três ficaram gravemente feridas no acidente do dia 16 de abril na BR-364. O trecho onde o acidente aconteceu fica a mais de 200 quilômetros do município de Cruzeiro do Sul e a menos de 40 quilômetros do município de Tarauacá, próximo à ponte sob o Rio Acuraua. Apesar da proximidade com o município de Tarauacá, a área não possui cobertura de telefonia celular.

“Por não ter sinal de telefone celular, em acidentes assim, o pedido de socorro pode chegar tarde demais” disse Zenilde de Sousa Silva, moradora.

No dia do acidente, a caminhonete Hillux, com seis pessoas, trafegava sentido Tarauacá Cruzeiro do Sul, quando colidiu com outra caminhonete, estacionada a margem da rodovia. Com o impacto as portas dos veículos arrebentaram e as vítimas foram arremessadas para fora do automóvel. No local do acidente, ainda é possível ver as marcas da frenagem e os destroços do veículo que capotou.

Para as pessoas que presenciaram o acidente e socorreram as vítimas, a cena foi de terror.

“Eu estava na frente de casa quando vi a batida, corri pra lá e as pessoas estavam no chão pedindo ajuda”, relatou o morador Antônio de Sousa Silva.

O sargento da Polícia Militar, Pedro Gomes, participou do resgate as vítimas. Segundo ele, as vítimas estavam jogadas, com cortes profundo. “A cena foi de tristeza”, lembra.

A esposa do motorista, Iana Rosa Medeiros, 44, morreu vinte minutos após o acidente. Ela não resistiu aos ferimentos e morreu antes que o resgate chegasse. O sogro dela, Francisco Vagner Taveira, 58, ainda foi socorrido com vida, mas morreu no Hospital do município. O motorista, Aslan Costa Taveira, 40, fraturou uma costela e o dedo de uma das mãos. A mãe dele, Maria Rosângela Taveira, 60, sofreu lesão na medula espinhal. Ela foi conduzida por uma ambulância de Feijó até Cruzeiro do sul e posteriormente encaminhada à capital Rio Branco. O estado de saúde dela inspira cuidados. Rosângela deve passar por novo procedimento cirúrgico nos próximos dias.

Atualmente, o município de Tarauacá conta com três ambulâncias, uma do SAMU, uma da Penitenciária e outra da prefeitura. Mas, no dia do acidente, as vítimas foram levadas ao hospital Sansão Gomes na carroceria de caminhonetes do Corpo de Bombeiros. Segundo informações, a ambulância do SAMU estava para revisão em Rio Branco e a outra não tem estrutura para transportar vítimas de acidente grave.

O Hospital Sansão Gomes em Tarauacá, para onde as vítimas foram levadas, conta com apenas um médico cirurgião e nenhum anestesista. “Em caso de emergência e haja a necessidade de cirurgia, o médico cirurgião será também o anestesista”, afirma o médico cirurgião Marlindo Viturino.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*