BanneR fALTAGASOLINA

Busca por gasolina gera tumulto postos

O constante aumento no nível das águas do rio Madeira tem provocado, a cada dia, mais preocupação para os acreanos. Na noite desta segunda-feira, 24, houve tumulto e corre-corre nos postos de gasolina da cidade. Muitos motoristas passaram horas esperando nas filas para abastecer.

Diante da possibilidade de faltar combustível na cidade, as pessoas correram para os postos para abastecer seus veículos.

Em alguns dos postos até se formou filas de pessoas com garrafas pets e galões de 5 litros, dividindo espaço com os carros, foram horas nas filas para poder levar gasolina.

Na manhã desta terça-feira, 25, a reportagem de Agazeta.net visitou pelo menos oito postos da cidade; desses, todos sem combustível.

Transporte irregular de combustível

De acordo com norma da ABNT, é proibido vender e transportar combustível em saquinhos plásticos e garrafas Pet desde agosto de 2008 (NBR 15.594-1).

Em Boletim Express, o site sincopetro.org.br explica que a venda de combustível fora do tanque do veículo só pode ser feita utilizando-se de recipientes metálicos ou não metálicos, rígidos, certificados e fabricados para este fim e que permitam o escoamento da eletricidade estática gerada durante o abastecimento.

Os não metálicos devem ter capacidade máxima de 50 litros e atender aos regulamentos municipais, estaduais ou federais. O abastecimento deve ocorrer com o recipiente fora do veículo e apoiado sobre o piso, sendo o bico embutido ao máximo possível dentro dele.

Ainda segundo a norma, para evitar que aconteça transbordamento no caso de dilatação do produto, os recipientes devem ser abastecidos em até 95% de sua capacidade. Além disso, o transporte de combustíveis feito pelo consumidor deve seguir as regras estabelecidas pela ANTT para transporte rodoviário de cargas perigosas (ANTT 420/2004).

O desrespeito a essa determinação pode trazer sérias consequências aos revendedores, incluindo a responsabilidade criminal por danos causados pelo combustível vendido dessa forma.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*