Após divisão, PT recorrerá à unidade

Após as intensas farpas trocadas desde meados de agosto por conta do PED (Processo de Eleição Direta), petistas decidiram nesta segunda deixar as diferenças das tendências de lado, colocando as mágoas na seputlura, e adotaram o discurso da “unidade de ação” com vistas às eleições de 2014.
 
Com Ermício Sena consagrado vitorioso nas urnas, o trabalho agora será da divisão dos cargos dentro da Executiva, colegiado que comporta as tendências mais bem votadas e responsável pela tomada de decisões do partido.
 
A tendência Democracia Radical (DR), do atual presidente Leo Brito e de Ermício Sena, tende a ficar com a maioria dos cargos, mas precisando fazer negociações mais acirradas com os grupos menores. A votação de Sibá Machado e sua chapa, Um Partido que Transforma o Acre, dará ao grupo ao menos duas cadeiras, num total de sete.
 
Já a Mensagem ao Partido, que agrega Democracia Socialista e Esquerda Popular Socialista, terá outro acento. Caberá a Ermício Sena conversar com todas as tendências caso queira ver aprovado na executiva propostas de interesse de seu grupo ou do partido como um todo.
 
Ermício será responsável por conduzir o partido no processo eleitoral de 2014
 
Antes de coletiva de imprensa realizada nesta segunda, o PT fez reunião a portas fechadas. À mesa estava o candidato vitorioso e os vencidos, além dos representantes de todas as tendências. Entre eles foi firmado o pacto de reunificação partidária após o embate do PED, com Ermício assumindo algumas das bandeiras defendidas pela campanha de Sibá.
 
Uma delas é a formação de um conselho político integrado pelos petistas históricos, que se dizem desprestigiados pela gestão da DR. O conselho será responsável por auxiliar a executiva em tomadas de decisões do PT, gabaritado pela longa experiência p0lítica de seus membros.
 
Outro compromisso é o campo majoritário não promover uma “caça às bruxas” aos militantes que estiveram engajados na candidatura de Sibá Machado. Havia o temor de “degola” nos filiados mais à esquerda da legenda. Reunidos, os principais dirigentes firmaram o compromisso da paz voltar a reinar.
 
Mas as tendências menores saíram fortalecidas no diretório de Rio Branco. Mesmo com a derrota de Júlia Feitoza, elas terão a prerrogativa de indicar quais cargos quer ocupar na executiva. O quase empate técnico com o vereador Gabriel Forneck pode deixar Feitoza na vice-presidência ou indicar um aliado de confiança.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*