Deputados ouvem diretor da Telexfree

O diretor presidente da Telexfree participou nesta quinta-feira (14) de uma audiência na Assembléia Legislativa. O auditório e o plenário ficaram lotados por divulgadores da empresa. Segundo o Deputado Moisés Diniz, autor do convite a audiência teve como um dos objetivos, ouvir do presidente da Telexfree qual a situação jurídica atual da empresa.

O diretor da Telexfree, Carlos Costa, esteve hoje na Aleac para participar de uma audiência com os deputados. Pouco antes ele foi convidado por jornalistas para gravar entrevista, mas se recusou, segundo advogados, para evitar declarações antes da audiência pública marcada para o período da tarde. Mas na tribuna, Costa não poupou palavras para enaltecer o trabalho dos divulgadores e a atuação da Empresa, antes do bloqueio judicial. “Se a Telexfree voltar ou não voltar não importa mais. Ela já fez o que tinha que fazer. As pessoas conheceram o que é uma distribuição de renda”, disse Costa.

Em cada trecho do discurso, o diretor era ovacionado pelos divulgadores, que desde sua chegada a Assembléia, disputavam fotos com o líder maior. A audiência foi motivada por um pedido do Deputado Moisés Diniz que tem defendido a causa com unhas e dentes, criticando o bloqueio da Telexfree. O deputado usou do dom poético para discursar em favor dos 70 mil divulgadores acreanos. “A sua empresa encheu os olhos dos acreanos de esperança e hoje muitos estão cheio de lágrimas”, disse. Moisés foi aplaudido de pé.

Segundo o deputado Diniz, o propósito da audiência foi de abrir espaço para o diretor da Telexfree falar sobre a luta com por uma legislação específica para o marketing multinivel e também sobre a situação judicial da empresa. A associação de marketing multinivel do Acre (Amacre), criada 3 meses depois do fechamento da Telexfree também participou do evento com os deputados.  De acordo com o presidente da associação, apóstolo Ildson Barbosa, “os divulgadores da empresa no Estado tem boas expectativas para a audiência de conciliação com o Ministério Público”.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*