Em Cruzeiro, população reclama por mobilidade

Quem habita no bairro do Miritizal, lado leste de Cruzeiro do Sul, o acesso para a comunidade é permitido por meio de um trapiche. E para cada casa, tem uma espécie de ponte improvisada, até o trapiche. Esta é uma realidade típica dos bairros que sofrem com enchentes e que ficam com os terrenos encharcados.

Segundo o diarista Francisco Carlos Silva, o trapiche foi construído há cerca de dez anos pela prefeitura, na gestão da então prefeita Zila Bezerra, mas os reparos na maioria dos casos são feitos pelos próprios moradores.

Outro morador do local, o aposentado João Silva, disse que mora no bairro há quase 20 anos. Ele conta que antes da construção do trapiche o acesso era muito pior. Segundo ele, a própria comunidade poderia zelar melhor pelo trapiche, porque na parte do bairro onde ele mora, as condições são bem piores, “e foi com o dinheiro das 17 famílias que moram ali que essa ponte foi construída”, afirmou João.

Nossa equipe de reportagem tentou contato com a prefeitura até o fechamento desta matéria não recebeu informação de nenhum projeto de reparos ou construção de trapiche no bairro do Miritizal.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*