Em Feijó, indígenas se agridem a facadas

Na tarde desta segunda-feira, 4, dois índios da etnia Kaxinawá, Antônio José Barbosa Pereira, 40 anos e seu sobrinho Roclei Pereira da Silva de 23, ambos da Aldeia Pupunha, baixo Rio Envira, próximo à cidade, estavam no Mercado Municipal quando se desentenderem e si travaram na peixeira.

A principal causa da via de fato foi o dinheiro da aposentadoria de uma índia que a pós sair do Banco resolveu ir até o mercado onde existem pequenas pensões para se alimentar.

Depois que a velha índia terminou de se alimentar mandou seu sobrinho, Roclei ir até onde estava seu tio Antônio José pedir para ele pagar as despesas, já que esse estava com o dinheiro da aposentada.

Obediente o jovem índio se dirigiu até seu tio para dar o recado. Esse teria dito que demorasse mais um pouco. A resposta não agradou o sobrinho que tentou apressar o tio que, como resposta, lhe aplicou um empurrão em seus peitos. Isso foi o suficiente para o jovem índio sacar de uma faca de aproximadamente 10 centímetros de lamina e desferir várias facadas em seu tio teimoso que também reagiu sacando outra faca e aplicando alguns cortes no sobrinho.

Antônio José, o tio desobediente sofreu 05 facadas por várias partes do corpo. O Sobrinho, Roclei recebeu 07 facadas. Principalmente no rosto, cabeça e braços.

Os dois foram encaminhados para o hospital onde passaram por vários curativos e cirurgias. A situação dos dois é grave e requer cuidados. O consumo de bebidas e drogas foi o maior causador do desentendimento entre os índios que foram flagrados com algumas cabeças de entorpecentes apreendidas pela polícia.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*