Banner Segway

Equipamentos de combate ao crime estão parados

No fim de 2009, a Secretaria de Segurança Pública do Acre contratou a empresa SGW Importação e Comércio de Dispositivos de Locomoção Individual Ltda para o fornecimento de segways, equipamento de locomoção pouco utilizado e conhecido no país.

Ao todo, o contrato foi de R$ 163 mil. Cada aparelho (em um total de seis) custou R$ 27 mil. À época, policiais militares foram capacitados para utilizarem o veículo. A proposta era realizar o patrulhamento na região central e em locais onde viaturas não chegam.

A partir de 2010, os segways começaram a funcionar na capital. Além de chamar atenção, era comum flagrar policiais utilizando o novo instrumento da PM no combate ao crime. Porém, os equipamentos deixaram de circular pelas ruas da cidade há algum tempo.

A reportagem de Agazeta.Net procurou a assessoria da Polícia Militar, mas não obteve resposta. Segundo informações, os segways estão guardados no quartel da PM por dois motivos: alto custo de manutenção e pela falta de baterias que alimentam os veículos.

O que é um segway

O segway é um equipamento ideal para patrulhamento em curtas e médias distâncias. Ele é bastante utilizado pela polícia dos EUA e alguns países da Europa. A tecnologia existente nos segway consiste em uma inteligente rede de sensores, mecanismos e sistemas de controle que permitem ao piloto o autoequilíbrio e a deslocação em duas rodas.

Quando se desloca, um inteligente sistema estuda as mudanças no terreno e a posição do corpo do condutor, a uma velocidade de 100 vezes por segundo. Para que o segway avance, o usuário só precisa se inclinar para frente e para que recue é necessária a inclinação para trás.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*