Governo discorda de valor da pensão para os “soldados da borracha”

Na manhã desta quarta-feira, 19, o Plenário estava lotado e sindicalistas atentos, mas para atender o pedido de vista da senadora Gleisi Hoffmann, foi retirada de pauta da reunião da CCJ a proposta de emenda à Constituição que aumenta o valor da pensão paga aos “soldados da borracha”.

O relatório do senador Aníbal Diniz que estipula pensão mensal vitalícia de mais de 3 mil e 700 reais aos seringueiros causou divergências e foi contestado pela ex-chefe da Casa Civil da Presidência da República.

O texto original da proposta, de iniciativa da Câmara, fixa a pensão em R$ 1,5 mil e abono de 25 mil, a ser pago imediatamente. O relatório de Aníbal Diniz recebeu apoio dos senadores governistas Eduardo Braga, Jorge Viana, Valdir Raupp, aposentados e sindicalistas.

A senadora Gleisi Hofmann afirmou que o governo federal concorda com a concessão de benefício de prestação continuada aos “soldados da borracha”, mas contesta o valor estipulado no substitutivo.

O pedido de vista protela a tramitação da proposta que vem sendo acompanhada com expectativa pelos ex-seringueiros dos estados da Amazônia. A matéria agora deve ser votada na quarta-feira, 26, da próxima semana. Apesar da protelação o relator disse que saiu otimista da CCJ.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*