Grandes querem derrubar Ponte, Lusa e Criciúma

Não bastasse todas as vantagens que possuem com relação a recursos financeiros, os grandes clubes já tentam uma manobra para “virar a mesa” no Campeonato Brasileiro. Coritiba, Vasco e Fluminense já se articulam para tentar os rebaixamentos de Ponte Preta, Portuguesa e Criciúma no “tapetão”.

Alegação de paranaenses e cariocas é de que os três clubes teriam infringido o artigo 9º do capítulo III do Regulamento Específico da Competição. Em seu parágrafo único, o regulamento diz que “cada clube poderá receber até cinco atletas transferidos de outros clubes do Campeonato da Série A; de um mesmo clube da Série A, somente poderá receber até três atletas”.

Apesar do regulamento dar margem para interpretações, o diretor de competições da CBF, Virgílio Elíseo, já avisou que há ressalvas. Na visão do dirigente, o artigo só vale para transferências de jogadores, após o início do Brasileirão. Além disso, só haveria infração, caso o clube tenha mais de cinco jogadores que atuaram nesta edição por outro clube da Série A.

Com o argumento de Elíseo, Ponte Preta e Portuguesa estariam livres de quaisquer punições. Dois clubes contrataram seis jogadores de outros clubes do Brasileirão, após o seu início. No entanto, nem todos eles chegaram a atuar na competição.

A Macaca contratou, após o Brasileiro, os volantes Fernando Bob (Fluminense) e Fellipe Bastos (Vasco), os meias Giovanni (Corinthians) e Elias (Atlético-PR), e os atacantes Leonardo (Vasco) e Adaílton (Vitória). Somente três jogaram nam competição: Fellipe Bastos, Elias e Leonardo.

O caso é semelhante à situação da Portuguesa. A Lusa contratou seis jogadores de clubes do Brasileirão, após o início. Foram contratados os volantes Willian Arão (Corinthians) e Carlos Alberto (Atlético-PR), o meia Cañete (São Paulo), e os atacantes Gilberto (Internacional), Bergson (Grêmio) e Henrique (Santos).

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*