Hospital do Câncer será ampliado

A equipe de engenharia responsável pelo projeto de ampliação da Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia do Acre (Unacom) apresentou nesta sexta-feira ao governador Tião Viana, à secretária de Estado de Saúde, Suely Melo, e a Antônio Vendetti, um dos diretores da unidade, a proposta de construção e ampliação do prédio do hospital.

O projeto arquitetônico propõe dois pavimentos, com uma capacidade estrutural pronta para suportar até cinco pavimentos. Além de ampliar as áreas dos serviços existentes, a reforma vai trazer espaço para melhorar a qualidade do trabalho oferecido atualmente.

O prazo de conclusão do projeto e apresentação à Caixa Econômica Federal é até janeiro do próximo ano. As obras devem começar em março de 2014 e se estender por doze meses. O investimento, segundo o secretário de Obras Públicas, Leonardo Neder, é de R$ 11 milhões em edificações, além dos equipamentos.

O governador Tião Viana discutiu formas de melhorar o diagnóstico de novos casos, segundo ele, o único ponto em que o Acre precisa avançar. “No mais, estamos prestando o mesmo serviço que é oferecido em outros Estados, em centros maiores”, observou o governador.

O Unacom atende pacientes com câncer do Estado, além das demandas de Rondônia, Amazonas, Roraima, Bolívia e Peru. Hoje mais de quatro mil pacientes fazem tratamento na unidade, que virou referência em atendimento na Região Norte.

Uma das grandes conquistas obtidas com o Hospital do Câncer, inaugurado em junho de 2007, foi zerar a fila de pacientes em tratamento fora do domicílio para radioterapia e quimioterapia. No início, eram cerca de 800 pacientes, e agora pelo menos três mil atendimentos são realizados a cada mês, entre novos casos e acompanhamentos.

O hospital também oferece serviço de atendimento de emergência 24 horas para pacientes e conta com uma equipe multidisciplinar formada por médicos, psicólogos, nutricionistas, fisioterapeutas, enfermeiros e assistentes sociais. Há também cirurgiões oncológicos, mastologistas e cirurgiões plásticos que atuam nos procedimentos de reconstrução mamária.

Hospital do Câncer será ampliado

A equipe de engenharia responsável pelo projeto de ampliação da Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia do Acre (Unacom) apresentou nesta sexta-feira ao governador Tião Viana, à secretária de Estado de Saúde, Suely Melo, e a Antônio Vendetti, um dos diretores da unidade, a proposta de construção e ampliação do prédio do hospital.

O projeto arquitetônico propõe dois pavimentos, com uma capacidade estrutural pronta para suportar até cinco pavimentos. Além de ampliar as áreas dos serviços existentes, a reforma vai trazer espaço para melhorar a qualidade do trabalho oferecido atualmente.

O prazo de conclusão do projeto e apresentação à Caixa Econômica Federal é até janeiro do próximo ano. As obras devem começar em março de 2014 e se estender por doze meses. O investimento, segundo o secretário de Obras Públicas, Leonardo Neder, é de R$ 11 milhões em edificações, além dos equipamentos.

O governador Tião Viana discutiu formas de melhorar o diagnóstico de novos casos, segundo ele, o único ponto em que o Acre precisa avançar. “No mais, estamos prestando o mesmo serviço que é oferecido em outros Estados, em centros maiores”, observou o governador.

O Unacom atende pacientes com câncer do Estado, além das demandas de Rondônia, Amazonas, Roraima, Bolívia e Peru. Hoje mais de quatro mil pacientes fazem tratamento na unidade, que virou referência em atendimento na Região Norte.

Uma das grandes conquistas obtidas com o Hospital do Câncer, inaugurado em junho de 2007, foi zerar a fila de pacientes em tratamento fora do domicílio para radioterapia e quimioterapia. No início, eram cerca de 800 pacientes, e agora pelo menos três mil atendimentos são realizados a cada mês, entre novos casos e acompanhamentos.

O hospital também oferece serviço de atendimento de emergência 24 horas para pacientes e conta com uma equipe multidisciplinar formada por médicos, psicólogos, nutricionistas, fisioterapeutas, enfermeiros e assistentes sociais. Há também cirurgiões oncológicos, mastologistas e cirurgiões plásticos que atuam nos procedimentos de reconstrução mamária.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*