Instituições alertam sobre restrições na piracema

 

Desde primeiras horas do dia, Pelotão Ambiental e Imac realizam ação educativa com pescadores às margens do rio Acre. Com a chegada da piracema, período de reprodução das espécies, existem restrições.

“O objetivo é conscientizar as pessoas. A quebra desse ciclo pode culminar na grande diminuição dos peixes do rio”, destacou Iracema Moll, coordenadora da operação. Na região central de Rio Branco, algumas pessoas foram flagradas utilizando varas de pesca. Elas não foram abordadas, pois o uso do equipamento é permitido.

Ao sair do perímetro urbano, surgiram as primeiras irregularidades. Três pessoas utilizavam tarrafas para realizar a pesca. “Vamos conversar e orientar que esta prática é proibida e prejudicial ao meio ambiente”, enfatizou o sargento Rafael.

Charles Pereira afirmou desconhecer o período de piracema, mas a partir de agora, vai obedecer à orientação. Em outra abordagem, um casal também foi flagrado com um tipo de rede proibida durante a piracema. Mais uma vez, os agentes repassaram as informações.

Um ‘arrastão’ foi o caso mais grave que a equipe flagrou. Nesta prática, comum no período de reprodução, todos os peixes são apanhados sem uma prévia seleção.
Os pescadores também não sabiam das restrições. Seu José Nascimento, ciente do que pode ou não fazer, resume bem a principal meta da operação. “Sempre tenho o cuidado de selecionar os peixes. Aqueles que são pequenos e não servem eu devolvo ao rio”, finalizou.

Por ser uma operação educativa, nenhum material foi apreendido. As abordagens continuam ao longo do ano.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*