thumb conciliacao abertura tjac dez13 01

Iniciada Semana de Conciliação do Poder Judiciário

Em Rio Branco, a solenidade de abertura da Semana de Conciliação aconteceu no fórum Barão do Rio Branco e contou com a presença de várias autoridades do Judiciário. Está é a sétima edição da Semana de Conciliação.

Até a próxima sexta-feira, todas as comarcas do estado estarão mobilizadas para a realização de audiências de conciliação com o objetivo de resolver conflitos entre as partes e diminuir o grande número de processos em aberto.

“Em cada unidade da Justiça foram designados processos para acontecerem as audiências de conciliação, e não obstante isso, as partes que quiserem podem vir as unidades as quais elas tem processo e propor a audiência convidando a outra parte”, explica o juiz Marcelo Coelho, coordenador do Cejud (TJ- AC).

No Acre a semana de conciliação coincide com as comemorações dos 50 anos do Poder Judiciário no estado. A proximidade das datas das audiências com o período natalino é outra mudança na edição deste ano.

“A expectativa da Justiça e a minha expectativa é que o maior número possível de pessoas aqui compareçam e aqui celebrem seus acordos, e que possam entrar o ano de 2014 com a sua pendência resolvida”, afirma a desembargadora Cezarinete Angelim, vice-presidente do TJ-AC.

A semana de conciliação acontece em todo o pais e envolve os tribunais estaduais, federais e da Justiça do Trabalho. A expectativa do Poder Judiciário e resolver pelo menos metade dos casos em que serão realizadas audiências de conciliação.  

A iniciativa é do Conselho Nacional de Justiça. Na edição do ano passado, em todo o país, de um total de 1 milhão e 900 mil audiências realizadas, foram conseguidos 916 mil acordos, pondo fim aos processos.

“Só a conciliação e capaz de resolver aqueles casos em que há uma lide que não está no papel, que não é descrita, ou seja, o conflito verdadeiro. As vezes isso não fica colocado e na conciliação nós podemos conhecer qual é o real conflito entre as pessoas e resolver de uma vez por todas”, afirma o juiz Laudivon Nogueira, diretor do fórum barão do Rio Branco.

Deixe uma resposta