Invasão à Defla pautou debate na Aleac

A invasão à Defla por policiais militares para libertar o sargento que havia recebido voz de prisão por delegado pautou o debate na Assembleia Legislativa do Acre na sessão desta quinta-feira, 06.

O líder do PSDB na Casa do Povo, Major Rocha, saiu em defesa dos policiais militares e afirmou que existe uma grave crise entre as polícias Militar e Civil. O parlamentar afirmou que os policiais civis têm prejudicado o trabalho dos militares.

O parlamentar tucano lembrou que esta não é a primeira vez que ocorre um episódio da Polícia Civil contra a Militar. “Mais uma vez um policial militar é desrespeitado por um policial civil, ao exemplo dos 11 policiais militares que foram presos e expostos como criminosos pela cúpula da Polícia Civil”.

Em seu discurso, Rocha referiu-se ao delegado que deu voz de prisão ao militar como incompetente e inoperante.

Em contrapartida, o delegado/deputado Walter Prado (PROS) classificou o episódio como “um desequilíbrio momentâneo entre as policiais Civil e Militar”.

Segundo Prado, o correto teria sido a PM acionar o promotor e o juiz plantonista para dirimir sobre o caso. “Invadir a delegacia para retirar o militar estava detido demonstra certo desequilíbrio da instituição. Esta ação mal pensada poderia ter resultado numa tragédia se um dos envolvidos tivesse sacado uma arma. Teria que chamar o promotor e o juiz para corrigir os excessos que estavam sendo cometidos pelo delegado”.

O líder do governo, Astério Moreira (PEN) afastou toda e qualquer hipótese de que haja uma crise institucional, porém, reconheceu que o episódio ocorrido no sábado foi grave e, portanto, merece ser investigado.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*