James Gomes retorna à Prefeitura do Quinari

Após dois meses de batalha judicial, o tucano James Gomes e sua vice, Maria Raimunda, foram diplomados novamente pela 8ª Zona Eleitoral, de Senador Guiomard, como prefeito e vice-prefeita daquele município.

Menos de 24 horas após a decisão da Corte Eleitoral que, por 4 x 1, decidiu pela inocência de Gomes, acusado de compra de votos na eleição de 2012, prefeito e vice foram reconduzidos ao cargo.

Após o julgamento, que durou cerca de quatro horas, James Gomes foi acompanhado em carreata por populares e correligionários até Senador Guiomard, distante de Rio Branco cerca de 30 quilômetros.

Ao chegar ao município, todos foram, em festa, até a sede da Prefeitura, onde Gomes aproveitou o momento para agradecer a todos que colaboraram e acreditaram em sua inocência.

“Quero primeiro agradecer a Deus, em seguida aos meus advogados e demais amigos que estiveram sempre ao meu lado”, frisou James.

O deputado federal Marcio Bittar, presidente regional do PSDB/AC, acompanhou ao lado de James Gomes todo o julgamento. Somente a leitura do relatório durou hora e meia. “Fico muito feliz em ver que a Justiça foi feita. Sempre ressaltei e afirmei que James era e é inocente e isto ficou comprovado hoje”, ressaltou Bittar.

Também esteve presente à sessão, o deputado estadual Major Rocha (PSDB). “Além de promover justiça, o juiz Náiber Pontes fez uma afirmação que me causou muita preocupação. Ele disse “O juiz casou o prefeito com base em suposições”. Depois de tudo que ocorreu, depois da pressa do juiz Braña em dar posse ao candidato do PT, acho que ele (o juiz) deveria se explicar”, comentou Rocha.

James Gomes foi diplomado pelo juiz da 8ª Zona, Afonso Braña, o mesmo que cassou seu mandato.

No dia 3 de setembro deste ano, Gomes foi cassado através de decisão de primeira instância assinada pelo juiz Afonso Braña, que reconheceu a existência de captação ilícita de sufrágio e determinou o afastamento do prefeito, de suas funções.

Durante o julgamento o juiz Lóis Arruda chegou a questionar a denúncia, “como pode um prefeito comprar um voto por 300 reais, próximo uma escola, rodeado de pessoas? Eu não posso crer nesse fato”, disse o juiz durante apresentação do seu voto. Ainda de acordo com o magistrado “tudo é muito fantasioso”.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*