Jornalista é agredido por policiais

O jornalista Ingreson Derze, que trabalha no Amazon Sat – da Rede Amazônica de Rádio e Televisão – foi agredido neste final de semana quando chegava em sua residência com a esposa Solani Albuquerque.

Segundo ele, sem motivos, os dois foram abordados na madrugada de domingo, 1º, por Policiais Militares do 2º Batalhão quando chegavam em casa, no bairro Areal.

Ao perceber a presença da polícia no local, Ingreson questionou o motivo da ação dos agentes. O jornalista afirmou para os policiais não ser nenhum bandido para ser tratado de forma truculenta.

Em seguida, os dois foram algemados e encaminhados  para a 1º Delegacia de Polícia (Defla), no bairro Cadeia Velha. Eles passaram mais de quatro horas detidos. Após o delegado chegar, o jornalista foi ouvido juntamente com a esposa e liberados por não haver motivos para as suas prisões.

O Sindicato dos Jornalistas do Acre enviou nota de repúdio. Veja:

 

NOTA DE REPÚDIO

O Sindicato dos Jornalistas do Acre vem publicamente repudiar o lamentável episódio ocorrido na madrugada deste 1º de dezembro, em Rio Branco, quando o jornalista Ingreson Derze foi detido por policiais militares no momento em que entrava em sua residência. Os agentes de segurança, de forma virulenta, buscaram intimidar o profissional da comunicação, assim como trataram de forma agressiva e desnecessária sua esposa, que foi ‘arrancada’ do veículo.

De representantes do povo e profissionais que deveriam zelar pela segurança de todos, esperamos sempre educação, bons modos e respeito aos profissionais de outras áreas.

Repudiamos de forma veemente esta forma arbitrária que o jornalista foi preso e conduzido a uma delegacia, sendo solto apenas porque o delegado não viu motivo para detê-lo.

Aproveitamos o momento para nos solidarizarmos com o companheiro e pedimos ao Comando da Polícia Militar uma conduta exemplar neste caso, posto que hoje foi com um profissional da Comunicação, e se fosse com um cidadão comum, que não tivesse repercussão?

Rio Branco, 1º de dezembro de 2013.

Junta Governativa Provisória do SINJAC

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*