Banner rbtrans tjac abr14

Lei vai trazer maior fiscalização contra clandestinos

Prefeitura de Rio Branco já enviou projeto de lei à Câmara

A prefeitura enviou para a Câmara de Vereadores projeto de lei que estipula multas altíssimas para quem for flagrado fazendo transporte clandestino em Rio Branco. Os valores podem chegar a R$ 1 mil, podendo dobrar o valor em caso de reincidência. Para completar, o veículo será apreendido.

A lei vai dar mais força aos novos agentes contratados pela RBtrans,  que passam a fiscalizar as áreas centrais de Rio Branco e a fiscalizar o transporte ilegal de vans, carros e motos.

O projeto de lei é um pedido dos sindicatos dos taxistas e mototaxistas que alegam prejuízos de 30% a 40% com a ação dos clandestinos, que antes pegavam apenas os passageiros nos pontos de ônibus, mas, agora, prestam outros serviços como buscar o cliente onde ele pedir. “Apresentamos essa lei para a prefeitura que copiamos de outros estados. Em cidades como Belo Horizonte funcionou, espero que a fiscalização seja forte e impeça os clandestinos de atuarem”, afirmou.

Os sindicatos informaram  vão acompanhar a votação do projeto. O Detran, que antes ajudava na fiscalização, vai acompanhar o novo trabalho da prefeitura que é conter a clandestinidade que coloca em risco quem usa dos serviços.

Transporte público

Lei municipal vai trazer multas e maior fiscalização contra clandestinos

Prefeitura de Rio Branco já enviou projeto de lei à Câmara

A prefeitura enviou para a Câmara de Vereadores projeto de lei que estipula multas altíssimas para quem for flagrado fazendo transporte clandestino em Rio Branco. Os valores podem chegar a R$ 1 mil, podendo dobrar o valor em caso de reincidência. Para completar, o veículo será apreendido.

A lei vai dar mais força aos novos agentes contratados pela RBtrans,  que passam a fiscalizar as áreas centrais de Rio Branco e a fiscalizar o transporte ilegal de vans, carros e motos.

O projeto de lei é um pedido dos sindicatos dos taxistas e mototaxistas que alegam prejuízos de 30% a 40% com a ação dos clandestinos, que antes pegavam apenas os passageiros nos pontos de ônibus, mas, agora, prestam outros serviços como buscar o cliente onde ele pedir. “Apresentamos essa lei para a prefeitura que copiamos de outros estados. Em cidades como Belo Horizonte funcionou, espero que a fiscalização seja forte e impeça os clandestinos de atuarem”, afirmou.

Os sindicatos informaram  vão acompanhar a votação do projeto. O Detran, que antes ajudava na fiscalização, vai acompanhar o novo trabalho da prefeitura que é conter a clandestinidade que coloca em risco quem usa dos serviços.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*