‘MP na Comunidade’ atende desabrigados

Nesta quarta-feira, 19, o Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) realizou uma edição especial do projeto ‘MP na Comunidade’ no Parque de Exposições Marechal Castelo Branco, onde estão abrigadas 3.644 pessoas atingidas pela cheia do rio Acre, em Rio Branco.

Durante todo o dia, membros e servidores estiveram no local, disponibilizando todos os serviços que diariamente são oferecidos nas unidades ministeriais. Como acontece no edifício-sede do MPAC, o Centro de Atendimento ao Cidadão (CAC) realizou os atendimentos e fez o encaminhamento das mais diversas demandas que foram apresentadas pelas famílias.

“Nós ouvimos as pessoas, fizemos um trabalho de orientação e encaminhamos as demandas para as promotorias ou para os órgãos competentes”, explica a coordenadora do CAC, Nazaré Gadelha.

Segundo a Promotora Rita de Cássia Nogueira Lima, foram identificadas várias situações que exigem a intervenção do Ministério Público, como abandono de incapaz, violência doméstica, entre outros problemas. “Nós estamos aqui tentando mediar esses conflitos”, ressalta.

Além do atendimento, as equipes vistoriaram a infraestrutura e as condições de acolhimento e atendimento aos desabrigados, como também o retorno das famílias para suas residências, que está sendo feito pela Prefeitura de Rio Branco com o apoio do Exército.

Também foram realizadas visitas a residências localizadas em áreas de risco, que ficaram comprometidas pela cheia do rio Acre. A dona de casa Francisca Rocha, que está no abrigo público, é uma das pessoas que, mesmo com a vazante do rio, não tem para onde ir. “A gente morava numa casa alugada, que agora tá sem cobertura, quase toda destruída. Mas eu tenho a esperança que tudo vai dá certo”, afirma.

No total, foram feitos mais de 130 atendimentos. A realização de uma edição especial do projeto MP na Comunidade foi uma determinação do Procurador-Geral de Justiça Oswaldo D’Albuquerque Lima Neto, que não acompanhou as atividades porque está em Brasília, onde participa de encontro do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais do Ministério Público (CNPG).

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*