thumb mocinha

Mulher é assassinada a facadas no Mocinha

O crime aconteceu na noite deste domingo, 23, na rua da Laranja no bairro Mocinha Magalhães.

A dona de casa Maria Antônia Rodrigues da Conceição, 33 foi barbaramente assassinada com sete perfurações a faca desferidos pelo dependente químico Eduardo Oliveira Nascimento Filho, 22 anos, “o Pabinha” sobrinho do marido da vítima.

De acordo com informações de testemunhas a mulher estava em casa sozinha. O marido e a filha de 11 anos estavam na Igreja localizada na mesma rua, quando “Pabinha” passou pela igreja e viu o tio e a prima entrando, mas percebeu que a mulher do tio dele não estava presente.

O acusado foi à casa do tio e encontrou Maria Antônia que se preparava para dormir e exigiu dinheiro, mas a mulher afirmou que não tinha. O acusado que estava há três dias fora de casa consumindo entorpecentes começou a discutir com vítima, alegando que sabia que ela teria recebido um determinado valor de uma indenização.

Mas, Maria Antônia continuou afirmando que não tinha dinheiro em casa. Quando Eduardo Nascimento completamente transtornado passou a agredir a tia e de posse de uma faca desferiu sete golpes na mulher que morreu antes da chegada da equipe do SAMU.

Após matar a tia Eduardo se apossou de um aparelho DVD que pretendia trocar por drogas em uma “boca de fumo” no bairro, mas quando saia da casa foi visto pela filha da vítima que teria passado mal na igreja e retornou para casa.

Ao entrar na residência a adolescente se deparou com a mãe caída na porta do quarto e a casa completamente revirada.

Desesperada a menina saiu de casa gritando por socorro, um vizinho também adolescente ao ouvir os gritos correu em direção a residência quando avistou Eduardo correndo levando um aparelho na mão, em seguida entrou na casa e viu a cena de sangue espalhado e a vizinha morta.

O SAMU e a Polícia Militar foram acionados, uma guarnição do Tático do 4º Batalhão chegou ao endereço e constatou que a vítima já estava morta, mesmo assim aguardou a chegada do SAMU em que o médico Giovane Casseb confirmou a morte.

Acusado se entrega a vigilantes de canteiro de obras do governo que chamam a Polícia

Enquanto as equipes da Polícia Militar e SAMU ainda estavam no local do crime, o acusado que tentava fugir foi até um canteiro de obras do estado, onde encontrou dois vigilantes e contou a eles que teria assassinado uma mulher e pediu que os vigilantes ligassem para o 190 informando que ele ficaria aguardando no canteiro de obras.

Uma equipe do 4º Batalhão foi ao local e prendeu Eduardo Nascimento que confessou o crime aos militares e afirmou que estava arrependido.

Preso o acusado foi encaminhado a Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher – DEAM, onde em depoimento ao delegado plantonista manteve a confissão, mas alegou que não pretendia matar a tia e que somente a matou porque ela teria reagido quando ele pegou o aparelho de DVD.

“Ela pegou uma garrafa e feriu minha mão, nesse momento peguei uma faca e desferi vários golpes nela. Eu não queria o dinheiro todo da indenização, apenas uma parte para comprar mais droga, mas ela reagiu” afirmou o acusado.

Eduardo Nascimento foi indiciado por latrocínio, mesmo se entregando a Polícia não dará benefícios ao acusado por se tratar de um crime hediondo.

Deixe uma resposta