Banner Liso

Municípios acreanos podem falir com FPM bloqueado

Prefeitos deixaram de pagar as parcelas das renegociações de dívidas

Neste mês de abril, seis prefeituras do Acre começam com os cofres vazios. A Receita Federal bloqueou R$ 1, 1 milhão do Fundo de Participação dos municípios – FPM, depois que os prefeitos deixaram de pagar as parcelas referentes às renegociações de dívidas.

Os municípios correm o risco de perder as outras duas parcelas e não conseguirem pagar a folha de pagamento e os fornecedores. Para Assis Brasil, Jordão e Capixaba, o bloqueio para cada um foi de R$ 118,694.00; Porto Acre R$ 197,824.00; Senador Guiomard R$ 237,388.00 e Sena Madureira R$ 356,000.00.

Desde janeiro, essas prefeituras estão com perda de receita do FPM. O governo federal está colocando em prática a lei 12.810, aprovada em 2012. Os municípios tiveram a chance de renegociar todas as dívidas, mas quem deixasse de pagar as parcelas sofreria o bloqueio dos recursos federais.  Mesmo sabendo desse detalhe, os seis prefeitos  deram calote nas parcelas, e agora o município não vai receber o recurso mais importante: o FPM.

As finanças desses municípios podem parar. O funcionalismo pode ficar sem os salários. Em janeiro, por exemplo, Assis Brasil teve todas as parcelas bloqueadas.  

Para piorar a crise econômica, a partir de maio, os valores do FPM começam a cair gradativamente até o mês de outubro. Muitas prefeituras começaram  a cortar despesas e enxugar a folha de pagamento.

O prefeito de Senador Guiomard, James Gomes, demitiu parte dos secretários, baixou salários, inclusive, o dele, mas não acertou a dívida com a Receita Federal. Para completar a falta de recursos, por causa da cheia do rio Madeira, o estado vai ter uma queda na arrecadação do ICMS, consequentemente atinge todos os municípios. Não é a toa que tem gestor ameaçando deixar a prefeitura.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*