Na Capital, Lei Orgânica pode acabar com anuênio e sexta-parte

Assim que as sessões na Câmara de Rio Branco reiniciarem, um projeto deve entrar na pauta: A Lei Orgânica, mas ela trará consigo uma série de discussões entre os servidores do município e os vereadores, principalmente da base de apoio, que acusam a prefeitura de retirar benefícios históricos.
 
A Lei Orgânica deveria ter sido votada no final do ano passado, mas a pressão dos sindicatos dos servidores fez os parlamentares da base recuar. Segundo o vereador Raimundo Vaz a prefeitura quer retirar dois artigos que acabam com dois benefícios dos trabalhadores.
 
O primeiro deles, o anuênio é o reajuste de 1% por cada ano trabalhado todas as vezes que o servidor chega à última promoção, é a única forma de reajuste no salário. O outro é a sexta-parte, que acrescenta 15% ao salário do trabalhador quando completa 25 anos de serviço e está prestes a se aposentar.  “Não vamos aceitar a retirada desses benefícios”, disse Vaz.
 
Os sindicatos dos servidores do município estão preparando um grande movimento, caso a lei orgânica seja aprovada, na câmara, com as mudanças na sexta parte e anuênio. Ao que tudo indica os vereadores deverão sentar-se com os representantes dos servidores para evitar um dano a imagem.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*