No Basa, bancários também voltam ao trabalho

Nesta quarta-feira (23) houve expediente normal no Banco da Amazônia. Os bancários do Basa estavam em greve há 33 dias, e mesmo com o fim da greve geral da categoria, mantiveram a paralisação até ontem, quando chegaram a um acordo com a direção do banco.

A greve geral dos bancários teve fim no dia 14, mas os funcionários do Basa ainda não tinham motivos para encerrar o movimento. Vários pontos da minuta de reivindicação não haviam sido acordados, mas ontem depois de uma nova proposta, cerca de 150 trabalhadores decidiram retornar às atividades. Segundo o sindicato dos bancários entre as principais melhorias está o reembolso nos procedimentos médicos, a reposição do piso salarial de 8,5% e a antecipação nos lucros, no valor de R$ 500,00.

O Sindicato avalia que apesar de não ter fechado a campanha com grandes conquistas, os trabalhadores da instituição, preferiram voltar ao trabalho pela responsabilidade social. “Esse ano a força do movimento dos bancários do Basa conseguiu avançar um pouco mais. Pouco, mas avançou. Com muita responsabilidade para atender a sociedade os bancários retornaram, mas vamos continuar lutando para que as conquistas venham futuramente”, disse Edmar Batistela, presidente do Sindicato dos bancários do Acre.

Para o Sindicato, o Banco da Amazônia têm desprestigiado a categoria a partir do piso base, que é o menor entre todos os bancos, inclusive privados. Enquanto um banco privado paga R$ 1400,00 para um iniciante, o BASA paga R$ 1200,00, mais de 10% de diferença.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*