Osmir Neto é condenado a 54 anos de cadeia

O Juiz Romário Divino, da 2ª Vara da Infância e da Juventude da Comarca de Rio Branco, condenou o proprietário da agência Órion, Osmir Lima Neto, a 54 anos e dez meses de prisão, em regime inicial fechado, pelos crimes de estupro de vulnerável – menor de 14 anos, estupro, exploração sexual e corrupção de menores. Como ele respondeu ao processo preso, segundo a jurisprudência que impera na Justiça acreana,o réu deverá recorrer da sentença também preso.

De acordo com a decisão, o empresário ainda terá que pagar as custas judiciais e indenizar em R$ 5 mil cada menor estuprada e R$ 3 mil as adolescentes que sofreram com exploração sexual. São 16 vítimas de exploração sexual.

Ainda do processo, Romário condenou a modelo da agência Órion, Maria Stefane Negreiros da Silva, a dez anos de reclusão, também em regime inicial fechado. Ela foi incluída como acusada pelo estupro de vulnerável, respondendo processo junto com o proprietário da agência. O Ministério Público Estadual (MPE) havia pedido a inocência dela.

Stefane ainda terá que pagar R$ 1 mil a menor com quem teria praticado sexo, a três, a pedido de Osmir Neto.

Os acusados poderão recorrer à Câmara Criminal, mas apenas a modelo poderá responder em liberdade até o prazo final do julgamento, por ter respondido â ação penal solta.

O processo que condenou o empresário e Stefane foi originado da Operação Glamour, que utilizou como prova principal os depoimentos das menores.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*