Parque Chico Mendes reabre as portas e recebe os rio-branquenses

Uso de máscara será obrigatório no espaço devido a pandemia do coronavírus

Foto: Aline Rocha/TV Gazeta

O Parque Ambiental Chico Mendes, localizado na Vila Acre, reabriu as portas ao público na manhã desta terça-feira, no feriado de 7 de setembro – Independência do Brasil. O uso de máscara será obrigatório no espaço devido a pandemia do coronavírus.

Dezenas de pessoas estiveram reunidas para a inauguração, que contou com a presença de políticos locais e som ao vivo. Além disso, as crianças puderam brincar no playground, e as famílias viram os animais e as plantas do parque. A trilha ecológica também foi reaberta nesta terça-feira.

O local vai funcionar das 7 até às 17 horas e contará com a presença de dois policiais militares. “Vamos colocar placas informativas e também guias para explicar a história do parque e informar sobre os animais, eles vão circular identificados com blusas da Secretaria Municipal do Meio Ambiente”, afirmou o secretário municipal do meio ambiente, Normando Sales.

O Parque Ambiental Chico Mendes possui uma vegetação de 57 hectares, reunindo diversas espécies de flora, animais silvestres e da fauna amazônica. “Somos um dos três zoológicos do Brasil que tem o Tatu-Canastra, então a população precisa ter conhecimento disso e aproveitar esse espaço”, concluiu o secretário.

Parque Chico Mendes

Localizado na rodovia AC-40, no bairro Vila Acre, em Rio Branco, o Parque Ambiental Chico Mendes é uma das atrações turísticas mais famosas da capital acreana. Durante seu pleno funcionamento, o local chega a receber de quatro a cinco mil pessoas, aos fins de semana.

O espaço foi inaugurado em 1996 e tem 53 hectares de área verde com mini zoológico, trilhas, playground e áreas para piquenique. Mais de 200 animais de 34 espécies vivem lá e fazem a alegria dos visitantes, especialmente aqueles que são endêmicos da região amazônica, como o macaco “Bigodeiro”, uma espécie própria do Acre que sempre está sendo levada ao Parque pelo Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas).

Por conta da crise sanitária causada pelo novo coronavírus, o espaço ficou de portas fechadas e lá dentro ficava apenas a equipe, que trabalhava em sistema de revezamento, para continuar cuidando dos animais. Mesmo com novo sistema de trabalho adotado, os cuidados com os animais foram redobrados para protegê-los mesmo que o espaço não esteja recebendo visitas.

Deixe uma resposta