thumb fotodepasa

Projeto prevê saneamento básico nos municípios isolados do Acre

Durante dois dias, técnicos do Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird) conheceram a realidade de Porto Walter, Marechal Thaumaturgo, Jordão e Santa Rosa do Purus. Acompanhados por uma equipe do Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento (Depasa), Secretarias de Planejamento (Seplan) e Meio Ambiente (Sema), eles visitaram os locais onde serão construídas as Estações de Tratamento de Água (ETA), Esgoto (ETE) e também as ruas que serão contempladas pelo programa Ruas do Povo. Atualmente, nenhum desses quatro municípios possui saneamento básico.

Além de disponibilizar os recursos, o Bird também oferece um suporte técnico e busca participar da elaboração dos projetos. Três especialistas do banco, nas áreas de saúde, saneamento e meio ambiente, vistoriaram os projetos in loco.

O especialista em saneamento, Ruy Marques, explica que a intenção é fazer com que as obras sejam eficientes para atender a uma população prevista para os próximos 20 anos. “É procurar a melhor solução que permita atender ao maior número de pessoas, mas ao mesmo tempo em que ela seja econômica. Por exemplo, houve uma preocupação de otimizar os projetos no sentido de poder utilizar o recurso em outras áreas do projeto”, disse.

Agnes Velloso, membro da equipe do Bird, teve como função verificar as opções de menor impacto ambiental. “Tudo isso é para que as obras tenham uma maior sustentabilidade tanto do ponto de vista da obra em si, pra evitar que se faça hoje e tenha um problema amanhã, quanto do ponto de vista pra ter um menor impacto ambiental”, disse a especialista na área ambiental.

Mudando a realidade dos municípios de difícil acesso

Conhecidos por ter um baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), os quatro municípios isolados são os mais pobres do Acre. O Jordão, por exemplo, possui um IDH de 0,469, o sétimo mais baixo do Brasil.

Para o prefeito de Jordão, Élson Farias, receber o anúncio de que a cidade será contemplada com saneamento básico é muito mais que uma notícia. “É uma mudança definitiva em muitas coisas desse município. Um projeto desses que tem como ponto fundamental melhorar a qualidade de vida do povo. Isso com certeza é um investimento que a gente não acreditava, mas com essa visita e com o andar do projeto a gente vê que isso hoje é uma realidade”, disse Élson Farias.

O intuito dessas obras é investir na infraestrutura e ter como consequência melhorias na saúde dessas populações. “Quando você leva rede de esgoto, água tratada e pavimentação a uma cidade, você tem resultados muito positivos na saúde, como: redução de doenças transmissíveis pela água. Isso é bom tanto para comunidade, quanto para o Estado”, afirmou o diretor-presidente do Depasa, Felismar Mesquita.

Próxima etapa é licitar

Após as visitas aos municípios e a elaboração dos projetos, serão feitos os últimos ajustes para abrir a licitação. Até o fim do mês serão publicados no Diário Oficial os editais das licitações para obras em Santa Rosa do Purus e Jordão. Como não existem estradas ou ramais para os quatro municípios, a preocupação é outra: o inverno.

“Na verdade essa foi uma visita técnica. Precisamos ajustar todos os detalhes para licitar esses municípios o mais rápido possível, pois os materiais e as máquinas precisam ser transportados de balsa durante o inverno, para que tenhamos como trabalhar no verão do ano que vem”, ressalta a diretora de saneamento do Depasa, Dannya Coutinho.

Bird e governo do Acre

Nos últimos anos, o governo acreano tem conseguido junto ao Bird aprovação de projetos em diversas áreas. Conhecido por muitos como um empréstimo difícil, por necessitar de um processo criterioso e detalhado de análise, a gestão do Acre se destaca mais uma vez ao conseguir viabilizar uma nova ação.

“A relação é a melhor possível, devido a uma compreensão do governo do Acre. O Banco Mundial sente isso. E estamos disponíveis para colaborar de forma que os projetos alcancem o maior número de pessoas possíveis”, finalizou Ruy Marques.

Deixe uma resposta