alagamento-cidadenova

Rios acreanos voltam a subir e desabrigam mais famílias

Outra preocupação é com o rio Yaco que está próximo da maior cota já registrada

O nível do rio Acre voltou a subir e atingiu os 15,13m na tarde desta quarta-feira (19). Outra preocupação é com o rio Yaco que está próximo da maior cota já registrada. Além disso, a defesa civil está monitorando o nível do rio Madeira, que continua enchendo.

Em Rio Branco, mais de 100 famílias foram removidas dos 12 bairros afetados pela cheia do rio Acre. A defesa civil recebe constantemente pedidos de socorro. A preocupação aumenta por que o principal afluente, o riozinho do rola, continua enchendo e com mais previsão de chuvas, a tendência é que mais famílias fiquem desabrigadas. “Existe preocupação por que o nível do rio elevou. Amanheceu com 15 metros e 13 centímetros. O nosso efetivo que estava de folga foi mobilizado e também passamos a contar com a ajuda do exército, que chegou com caminhões e embarcações”, explica Coronel Gundim, coordenador da defesa civil estadual.

A defesa civil também está acompanhando o nível do rio Madeira. De ontem para hoje, o manancial subiu quase 14 centímetros, atingindo o nível de 17,87 metros. “Os meteorologistas do Sipam passaram que a cota pode chegar a 18 metros e se isso acontecer a BR fica intrafegável”, comenta.

O município de Sena Madureira também está em situação preocupante. O rio Yaco está com 17,02 metros, quase 2 metros acima da cota de transbordamento. O nível do rio está próximo da maior cota registrada em 2012 quando alcançou a marca de 17,64 mt. Cerca de 150 famílias já foram removidas pela defesa civil, dos 6 bairros afetados pela cheia.

Deixe uma resposta