“Saidinha de banco” leva mais de R$ 3 mil de vítima em Rio Branco

O golpe da “saidinha de banco” fez mais uma vítima em Rio Branco. Uma dona de casa foi o alvo desta vez. Duas golpistas levaram dela mais de R$ 3 mil, dinheiro que seria usado para custear as despesas da família, já que o marido está doente há 9 meses.

Duas golpistas, aproveitando o dia tumultuado nas agências bancárias e o movimento intenso do centro da Capital, enganaram a dona de casa Daiane Ferreira. Assim que saiu da agência bancária, a vítima foi abordada por duas mulheres, uma loira e outra morena.

O golpe iniciou quando uma delas deixou cair um cheque. “A que estava atrás pegou o cheque e perguntou se era meu. Eu disse que não e daí a que estava na frente disse que era dela. A mulher agradeceu e disse que iria me gratificar e a outra que tinha pegado o cheque do chão”, explica a vítima.

A dona de casa estava com o filho de 11 meses no colo e diante do estresse e cansaço foi facilmente persuadida. Ela havia acabado de sacar pouco mais de R$ 3 mil reais. O dinheiro era muito aguardado pela família e estava na bolsa. Sem perceber a maldade das mulheres Daiane caiu no golpe.

Para dar mais credibilidade à ação, uma das golpistas entregou à Daiane um maço de papel enrolado num envelope. Só era possível ver a coloração de uma cédula de R$ 2,00 que parecia ser de R$ 100,00 e no momento do fato enganou fácil Daiane, que não distinguiu o valor, mas pensou que fosse uma grande quantidade de dinheiro. A ladra pediu para que a vítima entregasse para uma pessoa em um comércio próximo e ela a recompensaria com R$100. “Quando eu andei um pouco e virei pra trás, elas haviam fugido com minha bolsa”, conta.

Assim que percebeu que havia sido roubada, Daiane entrou em desespero. Ela relatava as pessoas que estavam a sua volta que o marido está acamado, também vítima da violência. A dona de casa explicou que ele foi assaltado e agora se recupera da agressão.

Na hora da ocorrência, mesmo diante do tumulto em frente à agência, um policial que passava pelo local não ouviu o clamor da vítima. Apenas sugeriu que ela fosse registrar a queixa na delegacia mais próxima.

Nossa reportagem acompanhou Daiane até a 1ª Regional de Polícia Civil. A cunhada da vítima chegou logo atrás, perplexa pelo que havia ocorrido. “Pelo menos ela está bem. Levaram os documentos e dinheiro, mas estão bem”, disse.

Daiane registrou o boletim de ocorrência e agora está na expectativa de que os investigadores encontrem as golpistas. O delegado do caso deve requisitar os arquivos das imagens de câmeras de segurança próximas de onde o fato aconteceu. Como a vítima lembra de detalhes dos rostos das golpistas, isso também deve ajudar nas investigações, com a confecção de retrato falado.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*