PNSD é indicado a Patrimônio Mundial

Periodicamente, os países signatários da Convenção para a Proteção do Patrimônio Mundial Cultural e Natural indicam novos bens capazes de ser declarados Patrimônio Mundial futuramente. É essencial que eles reflitam a riqueza e diversidade cultural e natural existente no território, de forma a contribuir para a compreensão do processo civilizatório da humanidade.

Esse inventário é chamado de Lista Indicativa e serve como um instrumento de planejamento de preparação de candidaturas, cujo manual foi editado pela Unesco Brasil. Os Estados membros poderão atualizar essa Lista a qualquer tempo, embora as Diretrizes Operacionais que orientam o processo de reconhecimento recomendem fazê-la, pelo menos, uma vez a cada dez anos.

A partir dessa relação de bens culturais, naturais e mistos, é elaborado um dossiê que reúne todas as informações e documentação possíveis sobre cada sítio, para construir um argumento coerente e incontentável da candidatura para Patrimônio Mundial.

No Brasil, cabe ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) produzir esse documento dos bens culturais. No caso dos sítios naturais, essa responsabilidade é do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que sucedeu o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) nessa tarefa.

A Lista Indicativa brasileira é, atualmente, composta por 24 bens. Entre eles estão os Geoglifos do Acre e o Parque Nacional da Serra do Divisor, também no estado.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*