Soldados da Borracha: senadores buscam alternativas

Durante audiência pública, na manhã desta quinta-feira, 5, proposta pelo relator da matéria na CCJ, senador Aníbal Diniz, representantes do governo federal, da Previdência Social e dos sindicatos dos soldados da borracha discutiram alternativas para atender satisfatoriamente as demandas dos ex-seringueiros, que continuam lutando pela equiparação de seus benefícios aos dos pracinhas da 2ª Guerra Mundial.

A PEC da Câmara é rejeitada pelos soldados, a maior parte com mais de 80 anos, e os pensionistas. O texto estipula uma indenização de 25 mil reais e eleva o benefício atual, de R$ 1.356,00, para R$ 1.500,00. Porém, desvincula o valor do índice de correção do salário mínimo. Se equiparados aos expedicionários, eles estariam recebendo mais de R$ 4 mil mensais.

Os senadores da Amazônia se reunirão na próxima terça-feira para buscar a melhor a melhor solução possível que atenda os interesses dos ex-seringueiros. A ideia é produzir um resultado satisfatório para o governo e os soldados da borracha.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*