Banner Iteracre-Glailson-Miranda

Regularização fundiária avança no interior do Acre

O Instituto de Terras do Acre – Iteracre – espalhou equipes por quase todos os municípios do Acre para fazer o levantamento  dos imóveis, bairro por bairro, e medir os terrenos em busca de alcançar uma meta: entregar em 2014, 24.000 títulos definitivos.

No ano passado, foram 12.000, esse ano e governo aumentou o número de equipes que ficam até 15 dias num município até concluir um bairro.  

Em Bujari, foram entregues 500 títulos urbanos. Um trabalho feito em três etapas que contou com a parceria da Caixa Econômica Federal e os cartórios. No final rendeu histórias como a da  funcionária pública Maura Martins. Ela conseguiu financiar uma casa pela Caixa no valor de R$ 50.000,00.

Bujari, assim como as outras cidade do Acre, os moradores não contavam com o título definitivo, ou seja, não eram donos do local onde moram. Agora, 500 pessoas estão de posse do documento.

Em Tarauacá homens e mulheres com pranchetas na mão enfrentam sol e chuva para cumprir a meta no município: visitar cada casa do bairro Copacabana. Os técnicos do Iteracre fazem o levantamento completo dos moradores e possíveis documentos da compra do imóvel. O terreno é medido e gravado em GPS. Brevemente mil famílias vão estar recebendo o título definitivo da propriedade. Um benefício que, para essas famílias, parecia impossível.

Encontramos outra equipe do Iteracre em Sena Madureira. O município formado a partir de um seringal nunca teve condições de oferecer títulos para os moradores. Quem comprava um imóvel tinha apenas um contrato de gaveta. Agora os 800 imóveis do bairro Jardim primavera e mais 500 do bairro cafezal já contam com título definitivo. Segundo o prefeito Mano Rufino as casas e terrenos dobraram de preço.

A meta é entregar mais 800 títulos nos próximos dias para os moradores do bairro cidade nova. Os cadastros já estão bem adiantados e a expectativa também.

No município de Manoel Urbano o Iteracre corre para demarcar e preparar a documentação para 200 famílias que vão viver e produzir no primeiro projeto de assentamento estadual. A regularização do projeto Itauba já começou  e muitas famílias, que já estão na terra, receberação o tão sonhado título.

100% regularizado

Quem mais comemora o programa do governo de regularização fundiária é o prefeito de Rodrigues Alves, Francisco Burica. Todos os imóveis da cidade foram regularizados. Em qualquer casa que se vá, o proprietário logo exibe o documento. Quem passou a vida lutando para conseguir o título, e não conseguia, sabe como é árdua essa luta, disse o aposentado Francisco Mariano de 74 anos. “Agora posso dizer que essa casa é minha”, completou.

O programa valorizou os imóveis da pequena cidade que fica a 15 quilômetros de Cruzeiro do Sul, e fez o prefeito preparar novos projetos. Agora Burica quer aumentar a área urbana da cidade em mil metros quadrados.

Em Cruzeiro do Sul a regularização atingiu dois bairros. No telégrafo escolas e residências foram beneficiadas. Na vila dos hansenianos o título modificou a situação dos moradores.

Antes, o aposentado Francisco Mariano vivia de favores. Por causa da hanseníase, mal pode sair de casa, agora, é dono do imóvel.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*