thumb acidentemontag

Trânsito já matou 15 pessoas em Cruzeiro do Sul em 2013

Halan Moisés dos Santos, Rosa Maria da Costa Lima, Sanderson Paixão de Melo, Joaquim Carlos de Vasconcelos.  Esses são os nomes de apenas quatro das 14 vítimas fatais de trânsito em Cruzeiro do Sul até novembro de 2013. Na tarde desta quinta-feira, 26, mais um óbito foi registrado.

De 2010 a 2013 a soma é de 58 pessoas mortas no transito. No dia mundial em memória às vítimas fatais de transito, os familiares estiveram no coreto do centro cultural para memorarem seus entes queridos.

Cada vítima ainda foi lembrada em um emocionante ato, onde uma planta foi colocada no canteiro, em frente ao escritório do Detran, e balões foram soltos simbolizando os mortos no trânsito nesses últimos 4 anos. Uma mãe ainda se emociona ao lembrar-se do filho neto, morto no trânsito, com apenas 12 anos de idade.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, 62% das mortes no transito estão concentradas em dez países, estando o Brasil na quinta posição.  

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada estima que o governo brasileiro gasta, anualmente, cerca de R$ 30 bilhões com essas vítimas. No acre, apesar das estatísticas favoráveis, que apontam diminuição no número de óbitos em acidentes, ainda assim, em 2012, foram registradas 95 mortes nas vias estaduais e em 2013 até meados do mês de novembro o número já chegava a 73.

Para as estatísticas, apenas números, mas, para as famílias, cada número representa uma perda irreparável de um ente querido que se foi para não mais voltar.

Negligencia, imprudência, falta de sinalização, o que tem ocasionado tantas mortes no trânsito em Cruzeiro do Sul, cidade que tem cerca de 22 mil veículos, quantidade ainda maior de condutores e onde acontece uma média de oito acidentes por semana.

Imprudência

Final do ano de 2012, a caminho da escola, dois irmãos tiveram seus sonhos interrompidos: Luan e Laiane, 8 e 10 anos, foram atropelados por um ônibus a poucos metros da escola, bem na faixa de pedestre.

Quem não lembra desse trágico acontecimento? Laiane morreu no local do acidente e Luan teve as pernas esmagadas pelo ônibus. Motivo do acidente: imprudência. O motorista vinha acima da velocidade permitida para a via.

Apesar dos investimentos do Detran em sinalização, educação no trânsito em Cruzeiro do Sul, levantamentos do departamento apontam que, dos acidentes ocorridos este ano na cidade 90% deles foram provocados por imprudência.

Branco, o agente

Diante desse contexto de desrespeito à vida no trânsito, um jovem nas ruas da cidade faz a diferença.  Em frente de escolas ou do Detran lá está ele: tentando orientar e fazer o trânsito fluir melhor.

Irismar ou simplesmente “Branco” é um rapaz de 32 anos, que tem deficiência intelectual, porem, apesar de sua excepcionalidade, Branco desenvolveu grande afinidade com os conhecimentos da área do transito. A função de agente de trânsito foi por ele incorporada há mais de 15 anos, o apito que não larga das mãos dá prova de que pra ele, essa função veio pra ficar.
 
Órfão de mãe, Branco foi criado apenas com irmãos e pelo pai que até reconhece  os riscos do filho ficar pelas ruas da cidade, mas revela que impedi-lo é quase impossível.

Um fato chama a atenção no transito em Cruzeiro do Sul, dos acidentes com vitimas fatais nesse ano, quase 80% foi provocado por pessoas que possuem Carteira Nacional de Habilitação.

Pela sua condição especial, de deficiência intelectual, Branco certamente não terá oportunidade de passar por uma auto escola, tirar uma CNH, não pilotará uma moto e nem conduzirá um carro, porem,  também não será ele o responsável por causar acidentes que culminam em fatalidades no trânsito, que só este ano marcou amargamente a vida de 15 famílias.

Deixe uma resposta