Promotor do MP explica demora na vacinação do Acre

Órgão pede que prefeitos enviem informações sobre grupos prioritários

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) explicou a TV Gazeta e site Agazeta.net o porquê ocorre lentidão no processo de vacinação no estado do Acre.

Segundo o MPAC, metade das vacinas que chegaram ao estado foram destinadas à população indígena, entretanto houve muita recusa por parte das pessoas dessas comunidades.

Por se tratar da saúde da população indígena, essas vacinas não poderiam ser redistribuídas para a população geral sem antes ser firmado um novo ajuste com a Fundação Nacional do Índio (Funai).

“De fato não estamos em uma velocidade compatível com o que precisamos para imunizar a população, mas também não estamos em uma lentidão extrema”, explica o promotor do MPAC, Glaucio Oshiro.

O Ministério Público também pede para que os prefeitos dos municípios acreanos auxiliem na organização, enviando informações sobre os grupos prioritários que estão sendo vacinados atualmente.