2008-policia-casoengenheira2

Acusações no Facebook mudam foco de investigação

Cinco pessoas foram ouvidas e hipótese de crime é avaliada

Uma revelação na rede social Facebook leva a Polícia Civil a mudar o foco da investigação da morte da professora e engenheira, Silvia Raquel da Mota, ocorrida ontem à tarde no bairro Wanderley Dantas.

O corpo de Sílvia foi encontrado dentro de uma caixa d’água na casa onde morava. O marido da professora, que não teve o nome revelado, foi quem acionou o Samu e a polícia. Quando os peritos chegaram ao local, tudo indicava que era um suicídio, mas a situação de crime, levou a outras conclusões por parte da polícia.

Uma delas, ou a principal, é a revelação de uma mulher no Facebook da vítima. Ela faz declarações de amor, e, diz no final, que a pessoa que cometeu o crime “vai pagar”. A mulher do Facebook indica que sabe de muita coisa, e deve ser umas das pessoas que serão ouvidas pela delegada Juliana D’Angelis.

O marido de Sílvia passou a ser um dos suspeitos, principalmente depois que uma testemunha viu a movimentação dele na casa durante o dia do crime. Nessa quarta-feira, serão feitas novas diligências. A delegada que preside o inquérito já ouviu cinco pessoas, entre elas, o marido da vítima.

A delegada espera a conclusão do laudo cadavérico para saber a verdadeira causa da morte. Com 40 anos de idade, a professora de uma universidade particular de Rio Branco acumulava o cargo de funcionária do Estado.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*