Banner Jovempreso

Jovem acusado de sete homicídios é preso na fronteira

Raylan Willian, 19, responde por vários outros crimes

O delegado de Polícia Civil Cristiano Ferreira Bastos, titular da delegacia geral de Brasileia, na fronteira com a Bolívia, comandou pessoalmente a prisão de Raylan Willian de Lima, 19, acusado de pelo menos sete homicídios na Capital e, investigado por integrar uma quadrilha suspeita de assaltar empresas de alto padrão, postos de combustíveis e caixas eletrônicos.

Raylan Willian foi capturado durante a Operação Mutirão Enafron III, lançada nesta segunda-feira, 27, em Brasileia. Considerado um assassino frio e calculista, Raylan Willian figurava entre os bandidos mais procurados pela polícia do Acre. “A prisão não foi simples, ele ofereceu resistência e tentou fugir, mas o cerco policial estava bem feito, a polícia agiu com firmeza”, destacou Cristiano Bastos.

Participaram da ação policial homens da Polícia Civil, Polícia Militar e Força Nacional. Pelo que foi possível apurar Raylan Willian é dono de uma extensa ficha criminal, responde cerca de vinte processos por diversos crimes nas delegacias: 2ª e 5ª Regionais e Antiassalto, em Rio Branco, além de delegacias do Alto e Baixo Acre.

A Operação Mutirão Enafron III é articulada pela Secretaria de Segurança Pública como parte da Estratégia Nacional de Segurança na Fronteira (Enafron). O objetivo principal, explica Reni Graebner, secretário de Segurança, é dar apoio as delegacias, incluindo diligências, buscas, investigações e conclusão de inquéritos.

“A ideia é concluir os inquéritos e fazer também diligências em ramais. O trabalho em equipe e o apoio garante o suporte necessário para que a demanda seja atendida e o resultado é sempre positivo”, disse Graebner.

QUEM É RAYLAN?

Aos 19 anos de idade Raylan Willian, além de acumular vários homicídios, ingressou em uma quadrilha suspeita de assaltar empresas de alto padrão, postos de combustíveis e caixas eletrônicos em Rio Branco. O grupo teria roubado pelo menos R$ 400 mil em aparelhos eletrônicos, veículos, peças automotivas, além de dinheiro.

Em um dos casos, ele e seu bando agrediram as vítimas e tomaram uma criança de 8 anos, que foi mantida refém. As investigações da Polícia Civil em desfavor de Raylan começaram após um roubo a uma concessionária de veículos na Avenida Ceará, região central da capital, crime ocorrido no dia 20 de julho de 2013.

Na ocasião, os autores renderam o vigilante e roubaram dois veículos, aparelhos eletrônicos, como diversos computadores e televisores, além de um cofre forte e peças de carros.

Deixe uma resposta