Após 35 dias acorrentado, candidato da Polícia Civil dá fim a protesto

A manifestação foi a forma encontrada pelo rapaz de cobrar do governo a convocação

Após 35 dias acorrentado em frente ao Palácio Rio Branco, Jorge Orleans, 24, um dos 500 aprovados para o cadastro de reserva da Polícia Civil do estado do Acre, deixou o local. A manifestação foi a forma encontrada pelo candidato de cobrar do governo a convocação dos aprovados. 

Na noite de terça-feira, 4, Jorge decidiu tirar as correntes e terminar definitivamente com o protesto. O rapaz, que faz parte do cadastro de reserva da Polícia Civil, acredita que concluiu a parte dele, mas que foi o governo que não honrou o compromisso. “Eu espero ter mostra a população que realmente aconteceu, que o governador não fez nada e não cumpriu a palavra dele que ele vinha prometendo durante a campanha dele, que a gente apoiou ele que procurou, a gente assinou documentos dizendo que ia chamar a gente”, afirma Orleans.

O fim da manifestação foi determinado após mais uma reunião com representantes do governo. O candidato aprovado conta que a alegação para a não convocação continuava sendo a Lei de Responsabilidade Fiscal. Jorge disse que chegou a questionar sobre a emenda orçamentária liberada para o concurso, mas que a questão não foi considerada. 

“Sempre acontece cada coisa no mundo, existe milagre, pode acontecer muitas coisas então eu acredito que possa sim, mas eu vou continuar lutando procurando os caminhos outras coisas pra fazer também da minha vida”, conclui.

Deixe uma resposta