Após briga, sargento do trisal atira em estudante de medicina

Confusão teria iniciado após uma das esposas de Erisson Nery ter sido assediada

O sargento da Polícia Militar do Acre, Erisson Nery, que faz parte do trisal com a também sargento Alba Radine e a administradora Darlene Oliveira, está sendo acusado de efetuar dois tiros contra um estudante de medicina, identificado por Flávio Endres, na noite deste sábado (27), em um bar de Epitaciolândia, onde vivem.

Alba Radine usou suas redes sociais pessoais para dizer que foi vítima de assédio enquanto estava com a família no bar, e quando foi “tomar satisfação” teria sido agredida. “Assediada e agredida e meu marido não podia me defender?”, escreveu a sargento.

Já na manhã deste domingo (28), a Polícia Militar do Acre emitiu uma nota de esclarecimento confirmando que o trisal se envolveu na briga no bar, que está apurando o ocorrido junto com a Polícia Civil, além de informar que Erisson Nery ainda não foi localizado. Confira a nota na íntegra:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Sobre os fatos envolvendo os policiais militares Sargento Erisson Nery e Sargento Alda Radine, no município de Epitaciolândia, na noite deste sábado, 27, a Polícia Militar do Acre (PMAC) informa que está apurando disciplinarmente os fatos e tomará as medidas disciplinares pertinentes e que a apuração criminal caberá à Polícia Civil.

Esclarece que até o presente momento o policial militar Sargento Erisson Nery ainda não foi localizado, nem tampouco se apresentou, no entanto a PM continua em diligências com o fim de localizá-lo.

A instituição reafirma que não compactua com ações que firam as normas legais ou que contrariam os valores castrenses seguidos pela corporação ao longo de sua história.

Atitudes tomadas por quaisquer membros da corporação no âmbito de suas vidas privadas não refletem no posicionamento institucional, e devem ser apuradas à luz do que determina a legislação.

01 Comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*