thumb marcelorefem

Assalto à lotérica: “Pensei que iria morrer”, diz refém

Marcelo Brito Gomes conta que viveu momentos de pânico

Marcelo Brito Gomes conta que viveu momentos de pânico durante assalto à casa lotérica, no centro de Rio Branco. Diversas vezes, o jovem de 23 anos de idade ficou sob a mira da arma utilizada pelos bandidos.

Ele conta que foi até o local pagar contas, quando os homens surpreenderam os clientes. “Na saída, eles ficaram assustados com a presença de policiais que passavam de moto, efetuaram disparos e voltaram para a loteria e renderam todo mundo”, relata.

Durante as negociações, Marcelo pensou que iria morrer. Toda vez que Moisés Nascimento Alves fazia exigências e os policiais demoravam, o criminoso efetuava disparos dentro do prédio. O refém foi um dos últimos a deixar o local.

Além de Moisés Nascimento, a polícia prendeu Antônio da Silva Feitosa. Com a dupla também foi apreendida uma pistola 380. Uma funcionária da lotérica, que não teve o nome divulgado, está detida por suspeita de envolvimento no crime. Três oficiais da PM estiveram à frente das negociações.

Deixe uma resposta