141217-policia-sograassassina-tvgazeta

Começa julgamento da sogra macabra do Quinary

Mulher mandou facção matar namorado da filha

Para evitar que algo possa acontecer com jurados, membros de facção, acusados de matar um vigilante em Senador Guiomard, estão sendo julgados em Rio Branco. O crime aconteceu no município em 23 de fevereiro desse ano, mas foi transferido para a Capital assim que a denúncia foi recebida pelo Judiciário.

O caso chocou pelas circunstâncias. A sogra contratou membros de uma facção para matar o genro, pois não aceitava o envolvimento da filha com alguém que não tivesse muito dinheiro. A vítima, o vigilante Wisney Rodrigues da Silva, tinha 31 anos. A principal ré: Marta Souza de Oliveira.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, ela não aceitava o namoro da filha com o vigilante. A garota tinha outro namorado, um comerciante em Senador Guiomard, que, segundo Marta, poderia dar uma vida melhor para a filha.

Como não consegui afastar o vigilante, falou com o marido, Jorgineide Machado da Silva que é apontado como um dos conselheiros de uma facção em Senador Guiomard, para matar o Wisney. Seis membros do grupo criminoso foram contratados para o crime, que, segundo o MP, foi planejado.

Na data marcada, os assassinos foram até a casa do vigilante e mataram a vítima com 9 tiros dentro de sua residência.
A polícia conseguiu desvendar esse caso graças à ajuda da Polícia Federal que estava monitorando um dos réus, Clécio de Souza Nascimento, pelo crime de tráfico de drogas. Através das ligações telefônicas, foi possível gravar várias conversas onde ele os outros acusados relatavam a morte do vigilante.

A PF repassou as gravações para a Polícia Civil que logo chegou aos outros acusados: Manoel Vieira da Silva Farias; Júnior da Silva Farias, Anderson de Souza Lara, Antônio José Barbosa da Silva e Raimundo Nonato Muniz da Silva, além de Jorgineide e Marta.

O julgamento deve demorar dois dias. São mais de 20 testemunhas e 8 réus. A acusação e defesa buscam provas que possam incriminar ou inocentar o grupo. O Ministério Público tem todas as gravações onde aparecem as conversas com detalhes sobre o crime.

A família da vítima que veio de Senador Guiomard está acompanhando o julgamento que deve ter um veredicto nessa sexta-feira.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*