231216-policia-vereador-oaltoacre

Em epitaciolândia, vereador acusado de estupro nega crime

Messias diz que foi extorquido pela mãe da garota

O vereador do município de Epitaciolândia, Manoel Messias Rodrigues Lopes, 41, foi acusado pela família de uma garota de 13 anos de estupro. O episódio teria acontecido na última quarta-feira. Há um laudo do IML que assegura ter havido conjunção carnal. O vereador nega a acusação. No fim da tarde de quinta-feira, concedeu entrevista ao repórter Almir Andrade, correspondente da TV Gazeta em Brasileia e Epitaciolândia.

Na versão do vereador, ele atendeu a um telefonema da mãe da menina que pedia auxílio para sair de um atoleiro em um ramal do Km 26 da BR-317. Lá chegando, o vereador não teve como auxiliar porque o carro também teria ficado atolado.

O grupo, composto pelo vereador, a garota supostamente violentada, a mãe e mais duas crianças andando até a estrada. Nas imediações há uma pequena vila. O vereador e a moça se adiantaram além do grupo, quando começou a chover.

Os dois foram se abrigar embaixo de uma árvore. Cerca de cinco minutos depois, nos cálculos do vereador, a mãe chega e já foi acusando de estupro. “D. Maria, pare com isso. Eu não estuprei a sua filha. Como é que eu faria isso em cinco minutos, a menina não está arranhada, não está com roupa rasgada, não tem nada, como é que eu vou estuprar uma menina? Eu sou um pai de família, tenho minha esposa, meus filhos. Sou contra esse negócio de estupro. Pra mim, tem é que matar estuprador”, defendeu-se.

O vereador traz um elemento novo ao problema. “Ela disse que queria que eu pagasse um salário para a menina até ela completar 18 anos. Eu não vou pagar porque não fiz nada, não lhe devo nada”, teria dito o parlamentar à mãe da suposta vítima.
O vereador estava acompanhado do advogado Paulo Henrique Mazzali e vai ser ouvido ainda hoje pelo delegado Cristiano Bastos.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*