Banner Caso Pinte

Ex-prefeito de Acrelândia pede anulação de julgamento

Câmara Criminal do TJ nega pedido e réu continua preso

O ex-prefeito de Acrelândia, Carlinhos Araújo, acusado de ser o mandante do assassinato do vereador Pinté, sofreu mais uma derrota nos Tribunais. A defesa de Paulino viu dois dos três votos da Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Acre negar o pedido de anulação do julgamento que o condenou a 16 anos de prisão, em regime inicial fechado.

No dia primeiro de maio de 2010, o então presidente da Câmara de Vereadores de Acrelândia, Fernando José da Costa, o Pinte´, foi morto a tiros quando chegava em casa. Dos oito acusados três foram condenado em novembro de 2011: O ex-prefeito, o  chefe de gabinete Jonas Vieira Prado e um dos executores, José Antônio da Silva.

A mãe do ex-prefeito, Maria Conceição Araújo, que era vereadora na época do crime , chegou a ser presa, mas foi absolvida.

Carlinhos entrou com um recurso no Tribunal de Justiça pedindo a anulação do julgamento. Com isso, todos os acusados voltariam ao banco do réus e os advogados teriam um nova chance para inocentar os acusados, ou o Ministério Público conseguir aumentar a pena. A defesa do ex-prefeito  alega que não houve imparcialidade dos jurados, além disso, as provas eram baseadas no depoimento de uma pessoa, Carlinhos Granada,  que dizia ter recebido R$ 30 mil para matar Pinté, fato que não ficou comprovado nos autos.

A relatora do processo, desembargadora Denise Bonfim, negou o pedido de anulação do processo, alegando que se havia alguma duvida sobre os jurados, a defesa deveria ter requisitado à época do julgamento.

O desembargador Adair Longuini acompanhou o voto da relatora e, no terceiro e último voto, o desembargador Samoel Evangelista pediu vistas ao processo. Se o voto for contrário aos outros dois magistrados, a defesa já estuda um nova estratégia, entrar com um embargo infringente, levando o caso para ser decidido pelo Pleno do TJ.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*