020617-policia-acidente-cedida2

Família de criança morta vinha encontrar pai

Causas do acidente ainda são desconhecidas

A mãe de Lion Gabriel da Silva, a criança de cinco anos morta no acidente da Eucatur, tinha ido a Ouro Preto D’Oeste, no interior de Rondônia, pegar os três filhos para morar em Rio Branco, cidade onde o pai encontrou emprego.

Às 4h30min, o destino interrompeu o trajeto do pequeno Lion Gabriel. Ele morreu no local do acidente, na BR-364, a dois quilômetros antes de chegar à Vila Extrema, divisa de Rondônia com o Acre.

Até a tarde desta sexta-feira, funcionários da empresa Eucatur estavam levando passageiros feridos com menor gravidade para as casas aqui em Rio Branco. “Eu estava acordado e foi tudo rápido. Quando percebi, já estava tudo virado”, disse Ribamar Pereira da cunha Júnior, 39, passageiro do ônibus. Ribamar se machucou pouco. Usava cinto de segurança no momento do acidente. Sentava na poltrona 18.

Outros passageiros tiveram situação bem diferente. No Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco, três passageiros que estavam no ônibus faziam cirurgia. O caso mais grave foi o de uma mulher que teve costela quebrada e que, possivelmente, perfurou o pulmão. É o quadro mais delicado.

Outros dois pacientes também tiveram complicação (um quebrou o fêmur e outro o braço). Nenhum tem risco de morte.

O motorista alega que um boi atravessou a pista. A perícia ainda não concluiu o trabalho técnico. “É preciso que esse trabalho seja concluído para que se possa tomar alguma medida. Por enquanto, a prioridade é a assistência aos passageiros”, disse o representante da empresa em Rio Branco, Célio Peixoto.

Para Rio Branco, foram enviadas duas ambulâncias: uma com três e outra com quatro passageiros feridos. Além desses passageiros, outros 13 vieram em uma van,

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*